Show de hardcore reúne mais de 2000 pessoas em parque de Nova York
Reprodução / Twitter BNB Productions
 

Muitas pessoas se animaram com o retorno dos eventos ao vivo da indústria da música nos Estados Unidos após o avanço das vacinações, porém o recente aumento de casos de COVID-19 tem gerado bastante preocupação.

O local mais recente a se manifestar foi o Condado de Los Angeles, que optou por um padrão mais rígido de restrições contra a doença.

De acordo com o New York Times (via Stereogum), a partir desta quinta-feira, 19 de Agosto, a utilização de máscaras será obrigatória em grandes eventos ao ar livre — aqueles com 10 mil ou mais pessoas — por todas os presentes, independentemente do seu estado de vacinação.

Definido pelo Condado como os “megaeventos”, a nova regra inclui apresentações que possam ocorrer em lugares icônicos como o Hollywood Bowl, além de diversos possíveis festivais na região.

A determinação chega após Los Angeles registrar uma média de 3.361 novos casos por dia; segundo o portal, isso representa um aumento de 18% em relação a duas semanas atrás.

Novas restrições contra a COVID-19

Acredita-se que a nova determinação pode ser questionada após as autoridades de saúde de Chicago terem indicado na semana passada que “não há evidências” de que o Lollapalooza tenha causado um novo surto de COVID-19.

Te contamos aqui que, segundo os organizadores do festival, 90% dos cerca de 385 mil participantes do evento estavam vacinados e apenas 203 testaram positivo para COVID-19 até a última quinta-feira (12).

Nas últimas semanas, compartilhamos diversas notícias de artistas, empresas e locais que estão adotando regras mais duras para tentar diminuir a disseminação do coronavírus.

Assim como Los Angeles, quem também atualizou sua política de vacinação recentemente foi a produtora AEG, responsável pelo Coachella e muitos outros eventos de entretenimento.

A empresa anunciou que a partir de 1º de Outubro todos os eventos ligados à sua marca só aceitarão a entrada de pessoas totalmente vacinadas ou, caso o artista esteja de acordo com isso, com testes PCR negativos. Saiba mais aqui.

Entre as bandas, temos como exemplo o The Killers, que anunciou que irá exigir que o público do seu próximo show esteja totalmente vacinado e também apresente um teste PCR negativo para a doença.

O Limp Bizkit, por outro lado, vem liderando um movimento de cancelamento de shows nos EUA por medo da COVID, e Nova York determinou que será obrigatório comprovante de vacinação para frequentar lugares fechados.