R. Kelly em 2016
Foto via Shutterstock
 

R. Kelly tomou uma bota da Sony Music, a gravadora com a qual tinha contrato.

A decisão vem após diversas acusações de abuso sexual contra o músico — as denúncias contém estupro, assédio, culto sexual, agressão e mais. O caso ganhou ainda mais repercussão após o lançamento do documentário Surviving R. Kelly.

O selo alegou, ainda, que “promete” não lançar mais nenhum material novo do cantor. Kelly assinou com a Sony em 2012 e lançou quatro álbuns com a RCA, subsidiária da gravadora. O último foi 12 Nights of Christmas, de 2016.

Nas redes sociais, o selo estava sendo pressionado para tomar uma atitude com relação ao músico. Artistas como Lady Gaga e Phoenix retiraram músicas com R. Kelly dos serviços de streaming e download, além de terem se pronunciado sobre a ação.

De acordo com Don Russell, consultor do cantor, Kelly ainda tinha dois álbuns em seu contrato com a Sony, mas não deve entrar com um processo contra a gravadora. Segundo Russell, o artista quer que “todos estejam felizes”.

LEIA TAMBÉM: Filha de R. Kelly se pronuncia sobre denúncias contra o pai: “monstro”