Kevin Spacey
Foto de Kevin Spacey via Shutterstock
 

Hoje mais cedo nós falamos por aqui sobre como o ator Kevin Spacey foi acusado de assédio pelo colega de profissão Anthony Rapp.

Rapp disse que quando tinha apenas 14 anos de idade foi convidado por Spacey para uma festa, já que ambos estavam atuando na Broadway, e lá o ator de House of Cards deitou em cima dele e “tentou seduzi-lo”, tendo causado um trauma que até hoje persegue Anthony.

Ao falar sobre o assunto, Kevin publicou uma mensagem em seus perfis nas mídias sociais e pediu desculpas sobre um evento do qual “não se lembra, pois já teriam se passado mais de 30 anos”.

Além disso, ele aproveitou a ocasião para assumir sua homossexualidade e disse que “escolheu viver como um homem gay, e quer lidar com isso de forma honesta”, por isso precisa examinar de perto seus próprios comportamentos.

Acontece que naturalmente a mistura dos dois assuntos não foi vista com bons olhos por muita gente, e as críticas começaram a aparecer desde que a publicação foi ao ar.

Larry Wilmore, ator e roteirista conhecido por obras como The Daily Show, Black-ish e Insecure, disse que a declaração “foi errada em diversos níveis”.

Zachary Quinto, ator e produtor conhecido por Heroes e Star Trek, foi contundente e escreveu um texto a respeito do assunto:

É muito triste e perturbador que essa foi a forma como Kevin Spacey resolveu sair do armário. Não se posicionando e tendo orgulho – tendo em vista sua quantidade enorme de prêmios e conquistas – para inspirar milhares de jovens da comunidade LGBTQ que lutam em todo planeta. Mas sim como uma manipulação calculada para desviar a atenção de uma acusação bastante séria de que ele tentou molestar um jovem. E eu sinto muito que Kevin só sentiu que a sua verdade fazia sentido quando ele pensou que seria bom para ele – assim como a negação só serviu para ele durante vários anos. Que a voz de Anthony Rapp seja a amplificada nessa história. As vozes das vítimas são as que merecem ser ouvidas.

Michelle Visage, de RuPaul’s Drag Race, também foi bastante crítica com o fato de que o ator tentou abusar de um garoto de 14 anos:

Kevin Spacey nós NÃO simpatizamos com você. Você sempre foi um homem gay e escolheu AGORA para sair do armário para diminuir o fato de que deu em cima de um garoto de 14 anos.

Billy Eichner, humorista conhecido pelo seu trabalho no Funny Or Die e participações em séries como Parks And Recreation, disse que Kevin Spacey inventou algo que ainda não existia: uma hora ruim para sair do armário.

Aaron Vallely, que escreve para publicações como Huffington Post e a revista Paste, disse que é uma vergonha Kevin Spacey usar a comunidade LGBTQ para esconder as atitudes contra um garoto de 14 anos.

Quem também se manifestou no Twitter foi a escritora e socióloga Eve Ewing, que abordou diretamente o desserviço que Spacey fez ao associar uma coisa com a outra, dizendo que o ator deveria estar “duplamente envergonhado” por fortalecer a ideia arcaica de que há uma ligação entre ser gay e abusar sexualmente das pessoas.

Por fim, Dan Savage, jornalista, autor e ativista pela causa LGBT+ disse que “não há nenhum nível de bebedeira ou o fato de estar no armário que justifique o assédio a um garoto de 14 anos”.

Vale lembrar que Kevin Spacey chegou a dizer que não se lembra do ocorrido, “já que teria acontecido há mais de 30 anos” e que foi um comportamento “bêbado completamente inapropriado.

LEIA TAMBÉM: criador de House Of Cards se pronuncia a respeito de acusações a Kevin Spacey

   
Nosso site utiliza de cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Consulte nossa Política.
 
Compartilhar