Failure
Foto por Priscilla C. Scott

Responsável por um dos grandes álbuns do Rock Alternativo nos anos 90, Fantastic Planet (1996), o Failure é mais uma banda a se posicionar contra o Spotify.

No entanto, o motivo citado pelo grupo que lançou o ótimo álbum Wild Type Droid no ano passado foi um pouco diferente de Neil Young, que vem sendo o grande protagonista da debandada como retaliação à manutenção do podcast de Joe Rogan na plataforma.

De forma semelhante a India.Arie, que concordou com o posicionamento de Neil mas apresentou seus próprios motivos, o Failure também creditou a lenda do Folk mas fez outros comentários que se somam à desinformação com relação à COVID-19.

Eles explicaram que viviam um dilema entre o péssimo pagamento do serviço e a necessidade de “alcançar mais ouvintes”, citando ainda que a questão moral foi a gota d’água por enxergar uma sabotagem da plataforma com aqueles que a sustentam — afinal de contas, a vacinação eficiente é o único jeito de retomarmos plenamente a realização de shows, que pagam a maior parte da renda das bandas do planeta.

Você pode ler o comunicado traduzido na íntegra ao final da matéria. Por lá, a banda ressalta ainda que não tem controle de algumas de suas músicas mais antigas, que podem acabar permanecendo na plataforma apesar da decisão.

Neil Young, Joe Rogan e Spotify

Mesmo depois de uma medida da plataforma, que foi vista como algo de fachada pela maioria dos que se posicionam contra Rogan, vários nomes da música têm se juntado a Neil Young no protesto contra o Spotify.

Até a família real britânica entrou na discussão e o sempre bem-humorado James Blunt brincou que, ao invés de retirar sua músicas, lançará novas canções por lá caso nada seja feito.

Em tempo, vale ressaltar que menos de 24 horas depois de pedir desculpas por toda a confusão, Joe Rogan voltou a usar o Twitter para defender o uso da (comprovadamente ineficaz) ivermectina.

A publicação em questão fazia referência a um estudo japonês que encontrou a mesma informação já disponível anteriormente, mas desta vez para a variante Ômicron: em um tubo de ensaio, a droga possui “efeito antiviral”. Nos humanos, entretanto, esse efeito não foi observado, como é bastante comum em testes.

Comunicado do Failure sobre saída do Spotify

 O Failure vem lutando com a questão do Spotify e se devemos ter as nossas músicas mais novas, que controlamos, na plataforma. Até agora, nossa ambivalência com relação ao Spotify era baseada no cálculo draconiano da plataforma para royalties, que essencialmente dá aos artistas uma fração microscópica do dinheiro que está sendo gerado pelas suas músicas na plataforma.

Nós todos já vimos as histórias de quão pouco o Spotify paga aos artistas cujos produtos sustentam o modelo de negócios dele inteiramente. Tem sido um golpe para os artistas desde o começo, seguindo na tradição do modelo das grandes gravadoras que o precedeu.

Mas os artistas que querem que suas músicas sejam ouvidas pelo máximo possível de ouvidos têm tido que tomar uma decisão difícil. Damos as nossas músicas a uma empresa que desvaloriza o nosso produto ao ponto em que os cheques de royalties do Spotify se tornaram objeto de memes humorísticos, ou seguramos nossas músicas da plataforma e supostamente ficamos sem uma ‘geração inteira de ouvintes’?

Isso é exatamente onde o Failure tem estado desde 2015, quando lançamos nosso primeiro álbum desde a reunião. Aquiescendo ao desejo por mais buracos de ouvido. Mas agora, com a mudança de política do Spotify que permite que a desinformação em relação às vacinas da COVID floresça na plataforma, o Failure decidiu que já foi o suficiente.

Para além das questões morais levantadas pela decisão com relação à COVID do Spotify, a questão da desinformação sobre a vacina e como ela afeta diretamente a situação atual da música ao vivo é simplesmente insustentável. Nesse momento, o Failure tem uma turnê de 31 datas pelos EUA marcada para Junho. A última turnê que marcamos em 2019 foi cancelada por conta da COVID, o que foi um gigantesco golpe financeiro na banda. A vasta maioria de casas de shows na nossa turnê está exigindo prova de vacinação ou um teste negativo para ver o nosso show. Nós simplesmente não podemos aturar a insistência do Spotify em espalhar desinformações sobre algo que diretamente coloca em perigo a cadeia de suprimentos da nossa banda, ou seja, os seres humanos em uma sala com caixas de som grandes. Há múltiplas camadas e razões para a nossa decisão, mas olhando para o ângulo capitalista, de livre mercado, essa banda, como qualquer outro pequeno negócio, está cortando laços com um parceiro que continua cortando o fundo da nossa cadeia. Nesse ponto, o problema realmente é simples assim.

É claro, nenhum sistema ou negócio é perfeito, mas temos alternativas ao Spotify que permitem que a banda seja compensada de forma mais sustentável e sem a necessidade de nos associarmos com mentiras perigosas sobre a política de saúde pública.

Se você quer comprar versões digitais sem perda de qualidade de nosso catálogo completo, nós o encorajamos a comprar nossa música no Bandcamp: failureband.bandcamp.com.

Se você quer dar stream na nossa música, continuamos a oferecê-la através da Apple e de outros serviços de streaming.

Encorajamos outros artistas que querem ser mais bem pagos por suas músicas, e que não querem estar em negócios com uma empresa que está confortável em colocar a indústria à qual devem todo o seu modelo de negócios em risco, a se juntarem a nós.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar