Twitter
Foto de Stock via Shutterstock
 

Não é segredo para ninguém que o Coronavírus está causando — e ainda deve causar — muitas mudanças na nossa sociedade. Para os funcionários do Twitter, no entanto, esse período pode acabar tendo um impacto duradouro e positivo.

Em uma carta divulgada pelo BuzzFeed News (via Variety), o CEO Jack Dorsey anunciou a decisão que irá impactar a maioria dos funcionários da empresa:

[…] Se nossos funcionários estão em uma função e situação que os permita trabalhar de casa e eles querem continuar fazendo isso para sempre, nós faremos isso acontecer. Se não, nossos escritórios serão tão acolhedores quanto sempre, com algumas precauções adicionais, quando sentirmos que seja seguro retornar.

Quando decidirmos abrir os escritórios, não será um estalar de dedos para voltar à mesma forma de antes. Será com cuidado, intencionalmente, escritório por escritório e de forma gradual. Abrir os escritórios será a nossa decisão, quando e se nossos funcionários irão retornar, será deles.

Esse retorno, com certeza, não ocorrerá antes de Setembro de 2020 de acordo com a empresa. Aliás, todas as viagens de trabalho até esse período foram canceladas e todos os compromissos presenciais pelo resto de 2020 também foram deixados de lado; as reuniões pessoais para o próximo ano também estão sob análise.

Twitter e Coronavírus

No último dia 30, a empresa teve uma reunião de resultados online e o CEO Jack Dorsey deixou uma mensagem bastante positiva em relação à produtividade do home office:

Nós fomos capazes de virar a chave muito rapidamente e não vimos nenhuma mudança significativa na produtividade quando as pessoas começaram a trabalhar de casa todos os dias. Então conforme formos saindo do isolamento social, acredito que isso nos dê muito mais opções, dá aos nossos empregados muito mais opções.

Dorsey ainda mencionou que o Twitter está na linha de frente dessa transição para o trabalho de casa, e tudo isso prova que a empresa pode ser um baita exemplo a ser seguido em alguns casos.

LEIA TAMBÉM: Jack Dorsey, fundador do Twitter, doa mais de R$ 5 bilhões contra coronavírus

 
Compartilhar