Jack Dorsey, fundador do Twitter, em encontro com presidente da França
Foto Stock via Shutterstock
 

Jack Dorsey, fundador do Twitter e da companhia de pagamentos Square, está fazendo uma doação pra lá de generosa aos fundos de combate ao coronavírus. O valor é de 1 bilhão de dólares, ou aproximadamente 5 bilhões de reais, e representa 28% de sua fortuna.

Segundo ele próprio em uma série de Tweets, o valor será doado na forma de ações da Square. Jack explica que a escolha é devido ao maior controle que tem sobre a empresa em relação ao Twitter, permitindo maior transparência — algo que ele leva muito a sério nesse caso, criando até um Google Doc para que todos possam acompanhar as suas doações.

Inicialmente, o fundo será 100% destinado a ajudar no combate à pandemia. A primeira doação foi feita ao America’s Food Fund, que distribui comida para aqueles que estão em situação carente no meio de todo esse caos. Após o fim dessa situação, Dorsey escolheu duas causas para apoiar: saúde e educação de garotas e renda básica universal.

O CEO diz acreditar que ambas “representam as melhores soluções a longo prazo para os problemas existenciais que encaram o mundo”. A ideia de renda básica universal é defendida por ele como uma “grande ideia que precisa de experimentação”, enquanto a questão das garotas é vista como “crítica para o equilíbrio”.

Jack Dorsey

Nas publicações, Dorsey também contou que já havia doado mais de US$ 40 milhões para caridade no passado para “várias organizações com impacto e eficiência comprovados, majoritariamente de forma anônima”. A ideia de tornar as doações públicas veio para tentar dar mais visibilidade e possibilitar que ele próprio e outros possam aprender.

Que outros dos mais afortunados do mundo possam aprender com o exemplo de Dorsey. Não há dúvidas de que o caminho para a reestruturação do globo após a COVID-19 passa por redistribuição de renda.