Vírus questiona a heteronormatividade em single de estreia
Foto: Ogreen
 

Em “Ameaça”, seu primeiro single, Vírus mostra toda a força do comunidade LGBTQI+ em um clipe que debate clichês.

O vídeo, dirigido por Baco Exu do Blues e OG Cruz, questiona a hetornormatividade através do uso de elementos como armas, drogas, poder e pegação.

O objetivo aqui não é fazer apologia, mas criticar os símbolos usados na maioria das produções que acabam por propagar o machismo e o preconceito.

O artista explica que conceitos como o usado nessa obra ainda são impactantes por fugir do status quo. “Em um cenário majoritariamente hétero e branco, onde a maioria das produções são reproduções com mulheres como objetos e gays como algo abominável, ter um jovem negro bissexual em posição de poder é mais do que chocante”, disse.

A faixa sai pelo 999, selo criado por Baco com o objetivo de promover e representatividade e apresentar ao público artistas que fogem do padrão. Anteriormente o selo lançou o single  “Antes Eu Corria Atrás, uma parceria do próprio Vírus com Celo Dut e Young Piva.