Tom DeLonge (blink-182, Angels and Airwaves)
Foto: Wikimedia Commons
 

Te contamos mais cedo este ano que a academia ufológica comandada por Tom DeLonge (Angels & Airwaves, blink-182) tem feito alguns avanços interessantes e, depois de obrigar a Marinha americana a reconhecer a existência de materiais sobre OVNIs, conseguiu um acordo de parceria com o Exército dos Estados Unidos.

To the Stars já vem, há algum tempo, adquirindo “materiais exóticos” – que seriam, supostamente, de naves alienígenas. É justamente aí que mora o interesse do Governo dos EUA. O projeto, intitulado ADAM, é classificado como uma “rede global para a coleção e avaliação de materiais exóticos”.

O porta-voz do Exército, Doug Halleaux, explicou (via VICE):

Se os materiais representados no projeto ADAM da TTSA [To the Stars Academy] são avaliados cientificamente e apresentados com dados que suportam o fato de terem utilidade militar pela TTSA, faz sentido olhar mais profundamente aqui.

Posição da To the Stars e de Tom DeLonge

Parece haver uma certa polarização na To the Stars entre seus dois maiores membros. Enquanto Tom DeLonge se mostra um apaixonado pela ufologia e se preocupa em entender mais o tema, o outro principal membro, Luis Elizondo (ex-funcionário do Pentágono), tem uma perspectiva diferente:

Nenhum de nós na TTSA se considera ‘ufologista’ ou parte da ‘cultura ufológica’. Na verdade, a maioria de nós vem de um passado ligado ao Governo dos EUA (tanto da Defesa quanto da Inteligência) e considera que é nosso dever patriótico trabalhar ao lado dos nossos amigos no Governo caso eles enxerguem [que podemos proporcionar] alguma vantagem em melhorar nossa segurança nacional e proteger nossas pessoas.

É, parece que os dois têm muito papo pra colocar em dia.

LEIA TAMBÉM: Conversamos com A.J. Gevaerd, fundador da Revista UFO, sobre Tom DeLonge, Área 51 e mais

 
 
Compartilhar