Hack Town 2018
 

O que uma cidade pacata do interior de Minas Gerais tem a ver com tecnologia, música, inovação e economia criativa? No caso de Santa Rita do Sapucaí, muito.

Isso porque a charmosa e tranquila cidade mineira – também conhecida como “O Vale da Eletrônica”, graças ao forte investimento em educação e foco em tecnologia – receberá, pelo 4º ano consecutivo o Hack Town, um evento dinâmico que reunirá palestras, debates, shows, encontros e negócios voltados a todas as áreas da indústria musical, como produtores, artistas, jornalistas, festivais, startups e interessados no tema.

Além do mercado musical, o evento – que acontece durante o feriado prolongado de 6 a 9 de Setembro – também abraça frentes de inovação na tecnologia e na economia criativa como um todo.

Inspirado nos moldes do já consagrado festival texano SXSW (South by Southwest), o Hack Town 2018 reunirá 4 mil pessoas em mais de 300 atividades simultâneas em locais espalhados pela cidade, que vão de bares a salas de aula.

Curada pelo produtor do Hack Town Carlos Henrique Vilela, a frente de conteúdo de Inovação na Música contará com três pilares. “Tendências e Transformações no Mercado Musical”, “Ferramentas de Negócios e Inspiração para Artistas e Produtores” e “Diálogo e Aprendizado com Outras Áreas”.

O primeiro pilar, sobre tendências e transformação no mercado, terá assuntos como as startups Music Tech, os impactos da tecnologia Blockchain no Mercado da Música, aceleração de artistas, a relação entre música e marcas, o papel da diversidade, movimentos disruptivos como o do K-Pop, oportunidades no mercado de Trilhas para Animação e Games, licenciamento de produtos, e o lançamento de um novo estudo da MTV Brasil para auxiliar marcas a se aventurarem pelo universo da música, apresentado por André Furtado, executivo da emissora no Brasil.

O segundo pilar, voltado para as ferramentas de negócios e inspirações tem na sua programação uma conversa com Gabriel Thomaz, líder do Autoramas, um workshop de Design aplicado à Música ministrado pelo produtor Iuri Freiberger; uma apresentação sobre gestão de carreira com Thiago Endrigo, sócio da Elemess (empresa que atua no gerenciamento de carreiras artísticas de bandas como Far From Alaska, Supercombo e Ego Kill Talent), um debate sobre caminhos de carreira liderado pelo produtor Barral Lima e outro sobre festivais de música encabeçado por Lúcio Ribeiro, do Popload Festival; além de uma conversa sobre Marketing Digital e Estratégia para o mundo da música liderada por Daniela Rodrigues, empresária do rapper e compositor Rashid, entre outras atrações.

O terceiro e último pilar, voltado ao diálogo e aprendizado com o que outras áreas do conhecimento podem oferecer para o mercado da música, trará palestrantes e temas diversos. Destaques da programação vão para o debate “Criatividade computacional: a Inteligência Artificial vai substituir a imaginação?”, um workshop de Planejamento criativo para canais de YouTube, a apresentação sobre licenciamento de marcas e personagens da especialista Carolina Motta, da Eleven Dragons, e uma conversa sobre branded content com Lica Repetto, líder do Núcleo de Negócios do canal Porta dos Fundos.

Agora quando o assunto é música ao vivo, o Hack Town abrirá espaço para showcases de novos artistas em parceria com selos e outros players do mercado. Serão sete espaços pequenos e intimistas, no formato de pocket shows, que servirão de vitrine para artistas da região de Santa Rita do Sapucaí, e obviamente do restante do Brasil também.

A distribuidora digital britânica recém-chegada ao Brasil Ditto Music abrirá o espaço King In The Belly Backyard, que contará com apresentações de bandas do seu portfólio, como Moons, Mamamute, Wazadog, Trema, Pedro Bala e os Holofotes, além da própria King in the Belly.

O selo paulistano Rockambole também marca presença junto aos seus artistas Concha, O Grilo, Magnólia, João Marcos Bargas, além de convidados, como a banda Kilotones. O selo Under Discos (BH) traz ao evento shows de Noblat, Léo Moraes e Felipe de Oliveira. Quem também marca presença é o projeto global Sofar Soundsque nasceu na Inglaterra em 2009 e promove pequenos shows autorais com bandas independentes em lugares não-convencionais.

Ou seja, se você busca referências, diálogo com profissionais diversos e inspiração, o Hack Town parece ser uma boa oportunidade para ampliar o seu repertório esse ano. Vale correr para garantir o seu ingresso, pois as entradas serão limitadas.

Os ingressos e mais informações sobre o evento estão disponiveis no site oficial do Hack Town.

Você pode conferir uma compilação com o melhor da edição de 2017 do Hack Town abaixo: