Autoramas
Crédito: divulgação

O Autoramas disponibilizou nas plataformas digitais o álbum Autointitulado, cujo título brinca com o nome da banda.

“Esse é um disco de sobrevivência: no tempo, no lugar e nas condições que estamos vivendo. Passamos dramaticamente pela crise, pela COVID, nos adaptamos a tudo sem nunca parar de produzir, sempre pensando no trabalho, na música e no que o Autoramas sempre significou,” diz Gabriel Thomaz.

O lançamento do disco estava previsto para 2020, mas o estouro da pandemia atrasou todo o processo. O baixista Jairo, então, montou na sua casa em Itatiba, no interior de São Paulo, um estúdio para que o grupo pudesse realizar a gravação do trabalho.

“Lá pudemos tirar o atraso e registrar as ideias. Reunimos todos os nossos equipamentos vintage ou modernos pela primeira vez. E dá-lhe Eko, Farfisa, Mosrite, Ludwig, Giannini, Theremin Óptico EFX, Tremolo MG, Vibratoramas e muito mais,” completa Gabriel.

Nono álbum na carreira do Autoramas, Autointitulado chegou acompanhado do clipe feito para a faixa “No Dope”. Dirigido por Nacho Martin, o vídeo mostra o grupo caindo na estrada dentro de um fusca e se apresentando em diferentes partes de uma casa.

Formada em 1998, a banda, além de Gabriel, tem como integrantes Érika Martins (voz, miniguitarra, órgão, percussão e theremin óptico), Fábio Lima (bateria) e Jairo Fajersztain (baixo).

Celeste Campanari

Celeste Campanari
foto: divulgação
O grupo Celeste Campanari, idealizado pelos compositores Alexandre Barril e Caio
Sanches, lançou nos serviços de streaming em 2019 seu primeiro álbum. Homônimo, o disco agora chega em sua versão física, que possui encarte para colorir.
Formada também pelos músicos Lucas Brunner e Gabriel Rollim, a banda demorou bastante tempo para conseguir finalizar o trabalho de estúdio.
“Foi um processo de gravação para o álbum que durou mais de dois anos, devido a todos nós termos nossos empregos formais e a carreira artística independente ser bem difícil, fomos com calma trabalhando em melhores arranjos nas músicas,” comenta Caio.

Juvenil Silva

Juvenil SIlva
foto: Raissa Vila Nova

O cantor e compositor pernambucano Juvenil Silva lançou a faixa “Sem Relógios”, primeiro single de seu novo EP, intitulado Um belo dia nesse inferno.

Na canção com ares de folk psicodélico, o artista contribui na voz, violão e baixo, acompanhado por Pedro Ruff no Violoncelo, Alexandre Baros na percuteria e D Mingus na flauta, baixo e produção fonográfica.

“Essa música é uma das que eu já vinha gravando antes da Pandemia, quando chegou o isolamento eu parei as gravações e foquei num projeto chamado Discos Off-Line, onde fiz 8 discos, mas não lancei, apenas vendi para os fãs, tendo nisso uma das minhas principais fontes de renda durante a pandemia,” afirma Juvenil.

Em 2021, ele havia liberado o EP Lonjura, gravado com músicos espalhados por várias cidades do Brasil e também em Londres, na Inglaterra.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!