Kate Nash

A cantora/compositora britânica Kate Nash conquistou o mundo com seu álbum de estreia chamado “Made Of Bricks”, que saiu em 2007 e catapultou a carreira da artista, lhe rendendo 5 singles de sucesso, milhares de elogios pela crítica e vendas que fizeram com que o disco chegasse a ser o mais vendido do Reino Unido.

O tão aguardado segundo álbum já tem capa e se chama “My Best Friend Is You” e tem data de lançamento marcada para o dia 19 de Abril desse ano.

A faixa “I Just Love You More” pode ser baixada de graça no site da cantora, e a tracklisting do álbum ficou assim:

1.     “Paris”       
2.     “Kiss That Grrrl”       
3.     “Don’t You Want to Share the Guilt”
4.     “I Just Love You More”  
5.     “Do Wah Doo”    
6.     “Higher Plain”       
7.     “I’ve Got a Secret”       
8.     “Mansion Song”       
9.     “Early Christmas Present”       
10.     “Later On”       
11.     “Pickpocket”  
12.     “You Were So Far Away”       
13.     “I Hate Seagulls”       
14.     “My Best Friend Is You” (hidden track)

Postaremos mais notícias sobre esse disco à medida que elas forem aparecendo, fiquem ligados.

Cokie The Clown

Lembram que há um tempo atrás eu postei sobre um cartaz com as bandas da Fat Wreck Chords no festival SXSW e estranhei a presença do “Cokie The Clown”? Poisé, agora tá explicado.

Fat Mike, do NOFX, fez um show solo no festival, totalmente caracterizado de seu personagem Coquinha, o Palhaço e começaram a sair resenhas e fotos na Internet. E devo dizer que a apresentação foi, no mínimo, bizarra.

Mike, ou Cokie, entrou no palco com uma garrafa de tequila e vários copos em cima de uma bandeja, tomou umas 5 doses e distribuiu as outras mais de 30 para a platéia.
A partir daí foi tudo ladeira a baixo.

Mike tocou um pedaço de “The Decline”, além de “Cokie The Clown”, “My Orphan Year”, “Dig” e as inéditas “La Pietà” e “Drinking Pee” (ou “Tomando Mijo”, essa última fará mais sentido logo mais).

O problema maior é que entre as músicas, Cokie contava histórias de sua vida, e só veio bagaceira, como a vez em que ele e Melvin (o guitarrista do NOFX) presenciaram uma cena de estupro e nada fizeram para ajudar a vítima, mas sim foram ver um show do Vandals.

A parte pessoal ficou muito evidente quando ele tocou “My Orphan Year” e começou a falar da relação perturbada com o pai, de como acabou cancelando um show do NOFX para ir ao seu funeral, e lágrimas vieram aos olhos quando ele começou a falar de sua mãe. Quem pensava que a letra de “My Orphan Year” já era profunda e pessoal ficou ainda mais embasbacado quando o assistiu contar que foi obrigado a dar uma dose letal de insulina à sua mãe e colocar um travesseiro na cara dela, para que ela morresse, já que estava em estado terminal em um leito de hospital.

Outra história bizarra foi quando Mike morava com vários amigos e um deles resolveu se suicidar sem sucesso, aparecendo na cozinha com a cara toda ensanguentada enquanto Mike fazia feijão. Mike só falou “não faça isso”, e continuou seu jantar. No outro dia o amigo conseguiu se matar com um cabo de televisão.
Tudo que Mike e seus amigos fizeram foi mexer nas coisas do cara para pegar o que mais lhe interessasse, e Mike disse que pegou apenas um disco de vinil.

Foi um show mórbido, pesado e tenso, e pra completar, quando Cokie deixou o palco pediu para que apertassem Play em uma TV que estava no palco. O que começou a passar? Um vídeo dele preenchendo uma garrafa de tequila com mijo, fechando a mesma e indo para o palco fazer seu show, começando com 30 doses de tequila “batizadas” para a platéia. Bacana?

Review completo  em Inglês e mais fotos aqui e aqui.

Abaixo você fica com o NOFX num clima BEM mais animado tocando “Cokie The Clown” em Curitiba, com meu grande amigo Rafael Sem Freios no baixo.



Garotas Suecas

(Essa notícia foi dica do leitor Davi de Melo Rodrigues. Mande a sua notícia também!)

A banda brasileira Garotas Suecas lançou um EP em vinil de 7 polegadas chamado “Codinome Dinamite” através do selo American Dust, no último dia 16.

Até onde eu consegui averiguar esse disco só foi lançado lá fora mesmo, e é possível encontrá-lo no site da gravadora clicando aqui.
Além do fato de ter um disco em português sendo lançado por um selo gringo, o que me chamou também a atenção foi a frase que Carrie Brownstein, guitarrista do excelente Sleater-Kinney soltou sobre a banda, e que pode ser vista no site citado acima:

“Garotas Suecas shouldn’t merely be listened to or witnessed; they should be absorbed.”

E de indie-rock ela entende, então o elogio é dos maiores possíveis.
No Myspace da banda é possível ouvir alguns sons e ainda ver a agenda de shows dos caras lotada com apresentações nos Estados Unidos. Parabéns!

Soulfly

O Soulfly, banda de Max Cavalera, irá lançar seu mais novo disco chamado “Omen” no próximo dia 25 de Maio, e essa semana liberou as capas do disco para a versão regular e a edição Deluxe.
Ainda não há detalhes sobre o que virá na edição Deluxe e se o álbum será lançado em vinil, mas assim que tivermos mais detalhes os postaremos por aqui.

Clique nas fotos acima para ampliá-las.

Enthroned

Os metaleiros belgas do Enthroned lançaram seu décimo álbum de estúdio na última Terça-Feira via Regain Records.
“Pentagrammaton” é descrito como um álbum que representa perfeitamente como uma verdadeira banda de black metal deveria soar, então é ouvir e conferir.

O link para encontrar o disco é esse aqui.


Sol Invicto

Sol Invicto é um projeto paralelo de Stephen Carpenter do Deftones e  Eric Bobo do Cypress Hill, e os caras andaram postando uma mensagem no Myspace deles avisando que um disco deve ser lançado em Abril e 250 camisetas serão feitas para montar um kit que os fãs poderão adquirir com o CD e a camiseta.

Entre no link acima para saber como adquiri-las e mais detalhes serão postados por aqui em breve.