Neil Young
Foto de Neil Young via Flickr

A remoção do catálogo de Neil Young do Spotify movimentou as redes sociais nesta semana.

Como contamos anteriormente, o lendário músico decidiu remover suas músicas do aplicativo já que a plataforma preferiu manter no ar o podcast de Joe Rogan, que tem promovido em seus episódios uma série de informações falsas relacionas à COVID e chegou até a comparar a vacinação ao nazismo.

Apesar de Young admitir que sua atitude representa “uma grande perda” para sua gravadora, já que ele está abrindo mão de 60% de sua receita de streaming ao deixar o Spotify, ele deixou claro em um comunicado que estava fazendo aquilo “em nome da Verdade” e agradeceu à Warner por “reconhecer a ameaça [que] a desinformação do Coronavírus no Spotify representava para o mundo”.

Concorrentes do Spotify exaltam Neil Young

Com toda essa polêmica nos holofotes, as outras plataformas digitais não perderam tempo e colocaram em prática suas estratégias de marketing. Serviços como Apple Music, Deezer, Tidal e Qobuz aproveitaram o assunto para divulgar que seus aplicativos possuem os materiais de Neil Young.

A Apple, por exemplo, publicou em sua conta do Twitter um gif que mostra praticamente todas as capas dos álbuns de Neil e disse:

A casa de Neil Young. Ouça seu catálogo inteiro na Apple Music.

A Deezer também usou o Twitter e por lá compartilhou um link que direciona o público para uma playlist do artista, com uma foto que tem a frase “100% Neil Young” estampada:

Temos uma playlist 100% Neil Young, junto com sua discografia no Deezer… caso você esteja se perguntando.

Já a rádio SiriusXM anunciou que agora “parece ser o melhor momento” para avisar ao público que está trazendo de volta a Neil Young Radio, com o catálogo do artista pronto para assumir o canal Deep Tracks pelos próximos sete dias.

Além das criativas propagandas, as redes sociais também foram tomadas por hashtags como #BoycottSpotify e #CancelSpotify, que em tradução livre significam respectivamente “Boicote ao Spotify” e “Cancele o Spotify”.

Elas se tornaram tendência no Twitter após serem utilizadas principalmente por fãs de Young e consumidores da plataforma que não concordam com a decisão do Spotify de manter o podcast de Joe Rogan.

Artistas apoiam decisão de Neil Young

Além dos fãs de Neil, muitos artistas também utilizaram suas redes sociais para demonstrar seu apoio à decisão do lendário músico.

Após a divulgação da Apple Music, o icônico guitarrista Peter Frampton escreveu em sua conta do Twitter:

Bom para você Neil. Eu sempre fui um cara da Apple para streaming. Sem Joe Rogan para mim, obrigado!

Quem também se manifestou foi o ex-colega de banda de Young no CSNY, David Crosby, que declarou que a ação do músico lhe deixou “orgulhoso”, enquanto Klay Hanley, do grupo de rock alternativo dos anos 90 Letters to Cleo, escreveu em seu Twitter:

Se gravadoras + fãs descobrissem nos anos 90 que a Tower Records estava roubando artistas, usando os lucros da música para financiar e elevar [o radialista conservador e conspiracionista] Rush Limbaugh, as prateleiras estariam vazias. Espero que artistas mais poderosos sigam a posição de Neil Young sobre o tóxico Joe Rogan.

Um dos artistas que decidiu ter a mesma atitude de Neil Young foi Nils Lofgren. A esposa do roqueiro revelou a novidade em sua conta do Twitter, dizendo:

Pode não significar grande coisa, mas Nils Lofgren está tirando seu catálogo do Spotify. Vamos perder US$3,28 que recebemos por ano, mas vamos seguir em frente com justiça.

Bastante vocal em seu apoio às vacinas e ao controle da pandemia, Sebastian Bach (ex-Skid Row) publicou um tweet provocando os artistas de Rock que não estão apoiando Young e defendem o podcast de Joe Rogan. Ele escreveu:

Imagine se chamar de roqueiro e ao mesmo tempo ficar do lado de um cara que tem um podcast ao invés de [apoiar] Neil Young. Você pode continuar ouvindo seu podcast e eu continuarei ouvindo Neil Young.

Outro forte depoimento foi de Catherine Mayer, viúva do saudoso Andy Gill, do Gang of Four, que faleceu bem no início da pandemia. Em uma carta aberta ao Spotify, divulgada em seu Twitter, ela disse:

Se meu amado marido, Andy Gill, não tivesse morrido no início da pandemia, ele teria sentimentos fortes e claros sobre sua decisão de remover a música de Neil Young em favor de um podcast que espalhou desinformação anti-vacina.

Se as vacinas estivessem disponíveis no início da pandemia, ele estaria aqui para ter essa conversa com você. Em vez disso, devo falar por ele. E eu tenho que te dizer, como sua viúva, eu me sinto mal com a decisão de negócios que você tomou.

Confira abaixo as publicações das plataformas digitais e também dos artistas que estão ao lado de Neil Young.

David Draiman (Disturbed) fica do lado do Spotify

Ao contrário da maioria dos artistas, também tiveram músicos que se manifestaram a favor do Spotify. Um deles foi David Draiman, vocalista do Disturbed.

Como te mostramos aqui, o músico “aplaudiu” a decisão da plataforma de manter o podcaster, citando “liberdade de expressão” em seu depoimento.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar