WILLOW -
 

Já faz alguns anos que WILLOW se consagrou no meio artístico, conseguindo bastante espaço com hits como “Wait a Minute!” que vinham mais próximos do R&B do que qualquer outra coisa.

No entanto, é possível que você já tenha reparado mesmo lá atrás que sua voz tinha um poder diferente — e é justamente isso que ela evidencia em lately I feel EVERYTHING, seu recém-chegado quinto disco de estúdio que troca as melodias de teclado pelas guitarras e as batidas eletrônicas pela bateria de Travis Barker.

O músico do blink-182 vem se destacando como parte de um revival do Pop Punk, participando de uma infinidade de projetos em nome de uma renovação do gênero. Com WILLOW, no entanto, é diferente: enquanto em muitas outras de suas empreitadas Travis parece deslocado ou tomando o lugar principal, aqui ele cumpre um papel secundário, um apoio para o talento descomunal da filha de Will Smith.

Isso já havia ficado claro no primeiro single do trabalho, “t r a n s p a r e n t s o u l”, e volta a aparecer nas outras duas faixas em que Barker participa. Uma delas, aliás, tem outra colaboração de destaque: Avril Lavigne marca presença em “GROW”, que é sem dúvidas um dos auges da obra.

Continua após o vídeo

O protagonismo de WILLOW

Mas, como falamos acima, não se deixe enganar pelas várias parcerias. Claro que é ótimo ouvir a voz de Avril para atiçar nossa nostalgia, e a participação de Cherry Glazerr em “¡BREAKOUT!” também vale um belo destaque. Ainda assim, a atração principal por todo o disco é WILLOW.

A cantora vai com facilidade do Pop Rock ao Punk mostrando intimidade com as diversas vertentes do Rock, inclusive explorando algumas de suas referências mais obscuras. É o caso do single “Lipstick”, que soa como uma versão moderna e atualizada do Wicked Wisdom, banda de sua mãe Jada Pinkett Smith.

Continua após o vídeo

Outro ótimo destaque é “XTRA”, onde a nova estrela do Rock mostra que também está conectada às suas raízes do R&B e do Rap, abrindo espaço também para o talento de Tierra Whack no Rap. De forma geral, no entanto, lately I feel EVERYTHING tem uma característica fundamental que o diferencia do resto do movimento de revival do Pop Punk: o experimentalismo.

WILLOW não tem medo de usar harmonias e melodias que soam desconfortáveis, da mesma forma que não tem vergonha de recorrer aos refrães fortes e à guitarra do “Rock de arena” quando é preciso. O novo álbum é um retrato dos tempos atuais, onde definir um artista por seu gênero — em qualquer sentido da palavra — é algo verdadeiramente ultrapassado e, muitas vezes, impossível de fazer.

O que importa é que lately I feel EVERYTHING é, sem dúvidas, um dos trabalhos de maiores destaque de 2021. Ouça abaixo e comprove por si mesmo!

 
Compartilhar