Liziane Gutierrez, Festa Clandestina, Polícia, Bolsonarista
Reprodução/G1
 

A modelo Liziane Gutierrez conseguiu os holofotes neste sábado (10) após comparecer a uma festa clandestina no Jardins, Zona Sul de São Paulo, com mais de 500 pessoas.

Liziane ganhou fama ao gritar com os policiais que apareceram para acabar com o evento por volta das 2 da manhã, os mandando ir “pra favela” ao invés de fiscalizar festas em bairros nobres. No evento, que tinha ingressos a R$1.600, a atração musical ficou por conta da dupla Matheus e Kauan.

Em um vídeo publicado pela própria ação policial, Gutierrez aparece aos berros dizendo:

Vai tomar conta de quem torra. Vai pra favela. Vai pegar na favela, e vocês assumem.

Bom, saiba que a fama de barraqueira não é nova para Liziane. A modelo, que já passou um tempo nos Estados Unidos, já se envolveu com nomes como Rod Stewart, Chris Brown e Dua Lipa — sempre com uma briga no meio.

Liziane Gutierrez e o amor pela treta

Esta thread do blogueiro Dago Donato mostra uma série de acontecimentos absurdos envolvendo a brasileira. Em um deles, Liziane deu seu telefone para Rod Stewart em uma praia no Rio de Janeiro — e nunca recebeu uma ligação do músico.

Pouco depois, ela também acusou Chris Brown de ter dado um soco em sua cara, mas a justiça inocentou o rapper. Ela também acusou Jason Derulo de barrá-la em uma festa e, indo ainda mais fundo, se meteu no meio da briga entre o jogador de basquete Malik Beasley e sua esposa.

Na TV americana, a modelo ficou conhecida também por seus problemas com cirurgias plásticas, e apareceu em um programa que fala sobre procedimentos mal sucedidos.

Continua após o tweet

Modelo se desculpa

Em live no Instagram (via G1), Liziane pediu desculpas por ter se descontrolado com os policiais, e afirmou que seu intuito não foi menosprezar a favela. Ela disse:

A parte da favela foi isso, eu não falei menosprezando nem me sentindo superior a ninguém até porque eu vim de baixo e se tem uma coisa que a minha mãe nunca me fez esquecer é de onde eu vim. O que eu falei estava fora do contexto, eu falei respondendo um policial. […] Essa parte de menosprezar a favela, isso nunca aconteceu. Um policial estava falando ‘é mais fácil invadir a favela do que uma festa no Jardins’ e foi isso que eu falei: ‘então, vai para a favela’.

Assista ao vídeo abaixo.