James Cameron
Foto via Wikimedia Commons
 

É bem provável que você já tenha se perguntado “nossa, o que essa pessoa tinha usado?” enquanto assistia a algum filme. Bom, no caso de James Cameron e a obra-prima Exterminador do Futuro 2, era ecstasy mesmo.

Falando recentemente com o Ringer (via Vulture), o diretor que também é famoso por filmes como Titanic Avatar contou uma história pra lá de sensacional sobre as suas inspirações para o longa de ação e envolveu até Sting:

Eu me lembro de estar sentado ali uma vez, doidão de ecstasy, escrevendo anotações para o ‘Exterminador’, e eu fui atingido [por uma] música do Sting, aquela ‘eu espero que os russos também amem suas crianças’. [ele se refere a ‘Russians’] E eu pensei, ‘Quer saber? A ideia de uma guerra nuclear é simplesmente uma antítese tão grande da vida em si.’ Foi daí que veio o garoto.

Ainda nesse papo, Cameron deu sinais de que Exterminador do Futuro tem um discurso “anti-polícia”, de certa forma. Ele explica a mensagem da obra:

[É sobre quando] nós, como seres humanos, nos tornamos exterminadores. Nós aprendemos a ter zero compaixão. ‘Exterminador’, no fim das contas, não é sobre máquinas. É sobre nossa tendência de virar máquinas.

Bom, vale a pena até reassistir o filme sob essa nova perspectiva, hein?!