Legião Urbana
 

A vitória ficou, enfim, com a Legião Urbana.

Como conta a Rádio Rock, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça decidiu nesta terça-feira (29) que Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá podem usar o nome Legião Urbana mesmo sem autorização de Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo.

O voto de desempate no julgamento ficou a cargo do ministro Marco Buzzi, que ficou a favor do guitarrista e do baterista da banda, vencedores por 3 votos a 2. Com o resultado, a Turma negou o recurso movido pela empresa de Manfredini, que também leva o nome da banda.

Apesar da titularidade da marca ainda pertencer à empresa, Dado e Bonfá agora estão livres para realizar shows com o nome do grupo do qual fizeram parte. Mesmo assim, ainda estão proibidos de explorar a marca, comercializar produtos e licenciar seu uso para terceiros.

Legião Urbana

A disputa teve até um abaixo-assinado criado por um fã-clube para auxiliar os músicos.

O julgamento chegou a ser adiado pelo STJ mais cedo neste ano, decisão que preocupou Dado e Bonfá. À época, Villa-Lobos declarou:

Não é que eu queira a marca, eu só quero ter o direito de eu ser eu, o cara da Legião Urbana, e tocar as músicas da banda num show, em que vai estar lá escrito Dado Villa-Lobos. […] Eu e o Bonfá, a gente fez a marca, a nossa individualidade é indissociável dessa marca.

Ponto para a história e o legado do Rock Nacional!