SIAMESE
Crédito: reprodução
 

O cantor e compositor paranaense Siamese disponibilizou nas plataformas digitais o clipe do single “Vibração”.

Realizado pela Pangea Narrativas, o vídeo foi dirigido e roteirizado pelo próprio artista junto com Willian Klimpel.

Responsável também pela coreografia, Siamese aparece nas cenas em preto e branco ao lado dos bailarinos Lucas Edu e Silvester Neto.

“O clipe foi inspirado no icônico ‘Singles Ladies’, da Beyoncé. A ideia surgiu em fazer algo todo dançado e coreografado com salto alto, com estética clean, só o estúdio branco e a performance. Queria trazer a sensação de só chegar e se permitir sentir e se jogar nessa boa vibração,” comenta o cantor, que ao escrever a letra quis levar sua vivência para a pista de dança.

Recentemente, Siamese também gravou uma performance ao vivo da música “Overdose” no Sofar Curitiba edição SUMMER, realizada antes da pandemia, em fevereiro de 2020 e divulgada agora no YouTube.

Bruna Luchesi

Bruna Luchesi
foto: divulgação

Também do Paraná, a cantora, compositora e instrumentista Bruna Lucchesi lançou o clipe feito para a música “Energia Solar”.

Como o próprio nome da canção sugere, o vídeo dirigido por Amabile Barel traz cenas iluminadas pelo sol e a inspiração das imagens partiu da capa do single, elaborada pela artista visual Gio Soifer.

“Foram feitas imagens da gravação e depois criamos algumas outras texturas explorando a ideia da simplicidade de amar como uma criança que brinca com os raios de sol,” explica a artista.

A faixa é uma composição inédita do poeta, romancista, tradutor, compositor, biógrafo e ensaísta Paulo Leminski, conterrâneo de Bruna, nascida em Curitiba, e que faleceu em 1989.

Antes, Paulo, homenageado com a Pedreira Paulo Leminski, foi gravado por nomes como Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Arnaldo Antunes e Itamar Assumpção.

Willian Mattos

Supremo Tribunal Social
foto: reprodução

O cantor e compositor Willian Mattos divulgou nas plataformas de streaming o álbum Supremo Tribunal Social.

O disco, composto por 13 faixas e que possui vídeos ilustrativos com legendas no YouTube do artista, carrega influências do indie, lo-fi, alternativo, rock e blues. As temáticas das letras passam pela cultura do cancelamento, relações virtuais e também tóxicas.

“Diferente dos meus trabalhos anteriores, este álbum foi gravado da maneira mais simples e caseira possível: um microfone, uma guitarra e um PC, onde registrei, adicionei sintetizadores e mixei todas as músicas,” conta Willian, que já tem no currículo três álbuns e oito singles.