Morgan Wallen
Divulgação
   

O cantor Country norte-americano Morgan Wallen estava surgindo como uma das maiores revelações do gênero nos EUA, mas um incidente nos últimos dias parece ter mudado totalmente o rumo de sua carreira.

TMZ vazou um vídeo em que Wallen aparece com alguns amigos usando uma expressão que, no país, é considerada de cunho racista quando dita por uma pessoa branca. Você pode ver o registro ao final da matéria, no qual o músico estava voltando de uma noite de festa com amigos e falou diversas besteiras para além dessa.

Na ocasião, Morgan deixou claro que seu comportamento foi “inaceitável” e “inapropriado” e emitiu comunicado afirmando que “não há desculpas” para fazer isso, ainda que tenha pedido “sinceras desculpas por usar a palavra” e prometido “fazer melhor”.

Imediatamente, diversas rádios do país e até mesmo a própria indústria do Country se juntaram para um boicote às músicas de Wallen. Ele parou de ser tocado em inúmeras estações, teve seu contrato com a gravadora Big Loud suspenso “indefinidamente” e a Academia da Música Country o tornou temporariamente inelegível para a premiação deste ano.

Ao mesmo tempo, um fenômeno no mínimo curioso (se não preocupante) aconteceu quando foram observados os dados de streaming do cantor. De acordo com a Rolling Stone, os números apontam um crescimento de 1220% em vendas digitais um dia após a polêmica.

Poderíamos pensar que isso aconteceu por muita gente acreditar que suas músicas podem eventualmente ser tiradas das plataformas de streaming, mas também houve um aumento nas reproduções on-demand nesses aplicativos de 6%. Será que a tendência vai continuar?

 
Compartilhar