Sound Bullet
Crédito: Pedro Guarilha
 

A banda carioca Sound Bullet lançou uma edição estendida de seu segundo disco de estúdio, Home Ghosts.

O disco marcou a estreia do grupo no catálogo da Sony Music Brasil e conta com oito faixas, agora somadas à outras seis versões que integraram o projeto (decasa.).

A iniciativa foi pensada durante a quarentena e trazia os integrantes em cenas caseiras reinterpretando suas próprias canções. Um dos vídeos foi feito para a faixa “Hope” e você pode conferir abaixo.

“Uma das coisas que mais gostamos de fazer é rearranjar as músicas. Imaginar como elas ficariam em outras roupagens. Dá trabalho, mas é divertido. Nesse momento em particular, quisemos trazer outros elementos de neo soul e lofi hip hop que a gente não costuma usar, mas que estão sempre dentro das nossas referências,” comenta a banda, formada por Guilherme Gonzalez (vocal e guitarra), Fred Mattos (baixo), Rodrigo Tak-ming (guitarra), Henrique Wuensch (guitarra e synth) e Pedro Mesquita (bateria).

Eles, que misturam o math rock, post-punk revival, alternativo e indie, estrearam em 2013 com o EP Ninguém Está Sozinho e quatro anos depois veio o lançamento de seu primeiro álbum cheio, Terreno (2017).

Lê Almeida

Lê Almeida
foto: Karin Santa Rosa

O cantor e compositor Lê Almeida disponibilizou o álbum Aulas, assinado pela gravadora Transfusão Noise Records.

Este é o sexto trabalho de estúdio na carreira do músico e mergulha no experimentalismo através das melodias de rock alternativo e lo-fi que o conduzem à novas sonoridades.

O disco, concebido durante a pandemia após duas longas turnês pelos Estados Unidos e Europa, apresenta 11 faixas e foi antecipado pelo single “Interior de Qualquer Desordem”.

“Eu não tinha planejado tanto, mas em meio à quarentena e dentro de casa em um bairro que eu gosto e me sinto confortável, o disco só veio numa onda,” conta Lê, que recentemente perdeu o pai e buscou nas novas composições uma forma de lidar com o luto.

O álbum, que traz o artista em quase todos os instrumentos, conta com as participações especiais do americano Rumi Kizmic (Distant Family), Laura Lavieri, Daniele Vallejo (Blastfemme)  e Dinho Almeida (Boogarins).

Rico Manzano

Rico Manzano
foto: Marina Goulart

O produtor musical, beatmaker, multi-instrumentista e compositor paulistano Rico Manzano lançou nas plataformas de streaming o clipe da faixa “Soulfi”, através do selo Lemon Music.

O vídeo tem direção de Joaquim Tomé e foi realizado pelo StudioCurva, em São Paulo. Nas cenas, quem aparece é a dançarina Dani Moraes, que executa seus movimentos com a cidade vazia ao fundo, em alusão à quarentena.

Agora em carreira solo, Rico já atuou em projetos com Criolo, Baiana System, Yoko Ono e Nação Zumbi, ganhando experiência no mercado musical e também atuando como professor de mercado da música.

Um dos idealizadores do projeto Música em Rede, sócio da Relva Musicle e sócio/fundador da Aquarium Prodz, ele ainda faz parte do casting de produtores musicais das plataformas internacionais Shutterstock/Premium Beat (Canadá/USA) e Cinephonix (UK).

Bruno Capinan

Bruno Capinan
foto: Ana Figo

O cantor e compositor baiano radicado no Canadá Bruno Capinan liberou o clipe feito para a faixa “O Tempo Que Tudo Devora”.

Filmado na Bahia, o vídeo evoca a força dos orixás e mostra pontos turísticos de Salvador, como a Ponta do Humaitá, o Elevador Lacerda e o Pelourinho, além das proximidades do bairro da Liberdade, onde o artista nasceu.

A música integra o álbum Leão Alado Sem Juba, lançado há dois meses e gravado de forma remota entre Canadá, Brasil, França e Portugal.

O disco traz as participações dos músicos Bem Gil, Moreno Veloso, Kassin, Domenico Lancellotti, Pedro Sá, Gustavo Ruiz, Diogo Strausz, entre outros.

O título do trabalho surgiu de um sonho de Bruno, no qual veio a imagem do leão alado presente na mitologia e arquitetura europeia.

“Fui descobrir durante as gravações, em um texto do poeta Waly Salomão sobre o compositor Torquato Neto, falecido no 10 de Novembro de 1972, que Waly se referia a Torquato como ‘leão alado sem juba’,” revela Capinan.

Lubeka

Lubeka
foto: divulgação

Antes de entregar seu próximo álbum, o cantor e compositor goiano radicado nos Estados Unidos Lubeka divulgou uma versão ao vivo e acústica para a faixa “Atitude”.

“A música surgiu da vontade de expressar minha força interior em poder celebrar uma fase da minha vida em que me sinto livre, confiante. E decidi fazer uma versão acústica pois acredito ser uma música forte e que vai ser um dos carros chefes desse meu início de carreira,” conta o artista, que quer falar sobre aceitação e empoderamento.

Ele, que anteriormente havia divulgado o lyric video da canção, deu o pontapé inicial às gravações em Março após encontrar um produtor que casasse com sua proposta.

Foi assim que Lubeka conheceu Jards e voltou ao Brasil para registrar as canções do novo disco e um documentário em que vai revelar seu processo criativo e de autodescoberta.

“Esse é sem dúvida o maior projeto da minha vida, e o mais importante pois, é e será meu cartão de visitas. Serão sete músicas, e cada uma delas traz sentimentos que serão representados por cores do arco íris. Falo sobre relacionamentos tóxicos, sobre minhas inseguranças, mas mostro uma gradual evolução que através do autoconhecimento foram cruciais para quem sou hoje, um homem cada vez mais seguro, que se ama e é amado”, define o cantor, que recentemente também lançou o single “Tarde Demais”.

Ouça o novo álbum do Melim!