Olivia Newton-John
Foto de Olivia Newton-John via Shutterstock
Ouça playlist com clássicos do Rock!  

Olivia Newton-John tem uma longa batalha com o câncer em seu extenso e prolífico currículo como atriz, cantora e compositora.

Para ela, aliás, o termo “batalha” não é adequado. Em nova entrevista com o The Guardian, a aclamada artista afirmou que escolhe não ver isso como uma luta “porque não gosto de guerra, não gosto de lutar onde quer que seja — seja lá fora ou uma verdadeira guerra dentro do meu corpo”.

A primeira vez em que ela foi diagnosticada com o câncer de mama foi em 1992, pouco depois da morte de seu pai; a segunda, em 2013, pouco depois da morte de sua irmã mais velha e a terceira em 2017, quando ela conseguiu perceber até antes do normal por já estar acostumada: “eu senti que algo estava errado”, afirma Olivia.

Olivia Newton-John e o câncer

Um dos trechos mais chocantes da entrevista foi quando Newton-John falou sobre enxergar o câncer como um “presente”. Sim, você leu certo, e vamos deixar que ela própria te explique:

Hoje, eu não sei o que eu seria sem isso. Eu vejo como a jornada da minha vida. Me deu propósito e intenção e me ensinou muito sobre compaixão. […] Tem sido um presente. Eu não desejo isso a mais ninguém. Mas pra mim, tem sido importante na minha vida.

A estrela de Grease voltou a falar também sobre o poder das plantas, que inspirou a criação da sua Olivia Newton-John Foundation que se dedicada a encontrar terapias holísticas para o câncer. Ela mesma afirma que, além dos tratamentos convencionais, o uso da cannabis medicinal foi fundamental para que ela se recuperasse das três vezes em que o câncer de mama lhe atacou com mais força.

Desde então, tanto seu marido atual (John Easterling) quanto sua filha, Chloe, são donos de plantações de maconha — algo que deixou Olivia “nervosa no começo, mas pude ver os benefícios quando comecei a usar: ajuda com a ansiedade, ajuda com o sono, ajuda com a dor”.

Por fim, Olivia deixa também um conselho para quem enfrenta questões como essas:

Eu quero que meu corpo fique saudável e volte ao equilíbrio. Parte disso é a sua atitude mental em relação a isso. Se você pensar: ‘Pobre de mim’, ou ‘Eu estou doente’, então você vai ficar doente.

Leia a entrevista completa (em inglês) por este link.

 
Compartilhar