Dashboard Confessional

Dashboard Confessional

O Dashboard Confessional é uma banda de rock alternativo/emo formada por Chris Carrabba (Further Seems Forever) em 1999.

Começando como um grupo de um homem só, Chris tornou-se um dos grandes nomes dos anos 2000 com suas baladas carregadas de letras e sons emocionantes, liderados por sua voz potente. Ao longo dos anos, o Dashboard deixou de ter apenas a figura de Carrabba e tornou-se uma banda, que já conta com seis discos de estúdio na bagagem.

Esse ano, pela primeira vez, o Dashboard Confessional vem ao Brasil junto com o Anberlin para a Alterock Tour, promovida pela Webrockers.

Logo abaixo você confere as datas e locais dos shows, sendo que em São Paulo o primeiro dia está esgotado e foi criado um show extra:

  • 08 de Março – Curitiba (Music Hall)
  • 09 de Março – São Paulo (Carioca Club) – ESGOTADO
  • 10 de Março – São Paulo (Carioca Club) – Show extra (Informações aqui)

Batemos um papo exclusivo com Carrabba a respeito dos projetos, da turnê brasileira, suas expectativas e, é claro, discos, e você pode conferir logo abaixo.

Entrevisa com Dashboard Confessional

TMDQA!: Chris, você começou o DC como um projeto solo acústico, aí passou para uma banda completa e agora está tocando sozinho novamente. Que formato você prefere? Foi sua escolha vir ao Brasil como um artista solo?
Chris: Toda vez que eu vou a algum lugar pela primeira vez eu gosto de me apresentar como fazia no começo. Somente eu e um violão.

TMDQA!: Você já tocou com o Anberlin antes? O que você espera do Brasil? O público está muito empolgado para vê-lo pela primeira vez por aqui.
Chris: Eu já toquei com integrantes do Anberlin em bandas que eles estavam, mas nunca excursionei com eles antes. Estou muito empolgado. Estou ansioso quanto a tocar no Brasil. Eu já sei há muito tempo como os fãs de DC no Brasil são dedicados. Eu sinto que algo especial está prestes a acontecer.

TMDQA!: Como você está lidando com as carreiras do DC e do Further Seems Forever ao mesmo tempo? Alguma chance de ver o FSF tocando aqui?
Chris: Eu gostaria de levar o Further ao Brasil, mas não sei se alguém aí sabe quem somos!

TMDQA!: O Further Seems Forever era um dos grandes nomes quando o emo explodiu nos anos 2000. Como você vê esse estilo hoje em dia?
Chris: Eu não sei como o estilo está hoje em dia, mas todas as bandas com as quais a gente apareceu na época ainda são bastante populares e fazem ótimos discos. Então isso deve significar alguma coisa.

TMDQA!: Em 2010 você abriu alguns shows do Bon Jovi. Como foi essa experiência?
Chris: O Bon Jovi pedindo para que o DC abrisse shows deles foi uma surpresa e eu não tinha certeza se iria encaixar direito, mas a banda nos tratou como reis e o público reagiu muito bem com a gente.

TMDQA!: O que o futuro guarda para o DC? O último disco de estúdio foi lançado em 2009, fazendo desse o maior período sem um novo álbum na sua carreira.
Chris: Honestamente eu não tenho ideia de quando o próximo projeto do DC irá começar. Eu terminei o disco do FSF e mudei meu foco para algo completamente novo que ainda não estou pronto para revelar.

TMDQA!: Você já está na indústria da música há um bom tempo e as coisas mudaram bastante de 10 anos para cá. Como você se sente a respeito? Ficou melhor ou pior para os artistas?
Chris: Eu acho que é mais difícil do que nunca para que artistas tenham carreiras longas, mas é mais fácil do que nunca para que novos artistas tenham algum tipo de sucesso rápido.

TMDQA!: Você é fã de discos de vinil? O que você acha do retorno do formato?
Chris: Eu coleciono vinil há muito tempo. Essa não é a sua primeira volta “descolada”. Eu amo.

TMDQA!: Você tem mais discos que amigos?
Chris: É um empate.

 
Compartilhar