Discos que completam 10 anos de lançamento em 2010

2020 está entre nós e alguns discos estão completando sua primeira década de existência.

O ano de 2010 foi bem marcante na música – tanto quanto esperamos que este de agora seja também. Apesar do pop ter dominado as paradas com hits como “Baby”, de Justin Bieber e “Love the Way You Lie”, de Eminem Rihanna, os mais diversos gêneros ganharam ótimos lançamentos.

A ascensão de uma nova era do punk se fundindo com gêneros como o emo e o metalcore gerou uma leva de bandas liderada por A Day to Remember Four Year Strong que atingiram seu auge nessa época. O indie também apareceu muito forte, dominando as festas “alternativas”, e o rock reviveu com nomes como The Black Keys Deftones trazendo grandes álbuns.

Abaixo, separamos uma lista com 50 ótimos trabalhos de 2010 para atiçar sua nostalgia! Os discos estão em ordem de lançamento.

Vampire Weekend – Contra

Vampire Weekend - Contra

Depois de uma bela estreia com um disco homônimo em 2008, o Vampire Weekend se estabeleceu como uma banda duradoura da cena com Contra em 2010. Liderado pelo excêntrico single “Cousins”, o álbum foi um passo importantíssimo em direção ao futuro extremamente bem-sucedido dos caras.

Motion City Soundtrack – My Dinosaur Life

Motion City Soundtrack - My Dinosaur Life

Grandes expoentes da cena emo e pop punk dos anos 2000, o Motion City Soundtrack atingiu seu auge em 2010. Sucedendo Even If It Kills Me, disco produzido pelo saudoso Ric Ocasek (The Cars), My Dinosaur Life foi assinado por Mark Hoppus (blink-182) e levou a banda à sua melhor colocação nas paradas. Foi o único álbum lançado pelos caras em uma grande gravadora.

Massive Attack – Heligoland

Com participações de grandes nomes como Damon Albarn (Blur, Gorillaz) e Guy Garvey (Elbow), o Massive Attack retornou em 2010 após sete anos sem um disco de estúdio. Heligoland produziu o tímido single “Psyche” e o bem-sucedido “Paradise Circus”.

Angels & Airwaves – Love

Angels And Airwaves - Love

Lançado inicialmente de graça e eventualmente acompanhado de um filme e de uma segunda parte, Love trouxe elementos de rock progressivo ao som do Angels & Airwaves.

Two Door Cinema Club – Tourist History

Two Door Cinema Club - Tourist History

Trilha sonora de muitas festas “alternativas” por todo o Brasil, o ótimo Tourist History colocou o Two Door Cinema Club no mapa com uma série de singles. Apesar do sucesso de “Undercover Martyn” e “I Can Talk”, foi “What You Know” que realmente elevou a banda a outro patamar.

Gorillaz – Plastic Beach

Gorillaz - Plastic Beach

Surgindo de um projeto não finalizado, Plastic Beach viu Damon Albarn alistar ajuda de nomes como Snoop DoggDe La SoulMos DefLou Reed Paul Simonon (The Clash). Além de “On Melancholy Hill”, disponível abaixo, foram 3 outros singles: “Stylo”, “Superfast Jellyfish” e “Rhinestone Eyes”.

Four Year Strong – Enemy of the World

Um verdadeiro hinário do pop punk e hardcore melódico, Enemy of the World viu o Four Year Strong elaborar a sonoridade iniciada em Rise or Die Trying (2007) e lançar um dos melhores discos do gênero. “Wasting Time (Eternal Summer)” e “Tonight We Feel Alive (On a Saturday)” são grandes destaques.

She & Him – Volume Two

O projeto She & Him junta o cantor M. Ward com a atriz Zooey Deschanel e, além de suas ótimas músicas de Natal, lançou o ótimo Volume Two em 2010. O disco chegou a atingir a sexta posição da Billboard 200.

The Dillinger Escape Plan – Option Paralysis

Um dos poucos representantes do mathcore que chegou ao mainstream, o Dillinger Escape Plan tem uma carreira bem sólida e trouxe em Option Paralysis um dos seus melhores discos.

Slash – Slash

Slash - Slash (2010)

O primeiro disco solo do lendário Slash veio recheado de lendas do rock como Ozzy Osbourne Lemmy Kilmister assumindo os vocais. O single do álbum, no entanto, acabou sendo “Beautiful Dangerous” – comandada pela voz de Fergie (Black Eyed Peas). Vale ressaltar ainda a presença de “Starlight”, primeira colaboração de Myles Kennedy com o guitarrista antes de ambos se juntarem para o projeto Slash featuring Myles Kennedy and the Conspirators.

MGMT – Congratulations

MGMT - Congratulations

Apesar do sucesso gigantesco de Oracular Spectacular (2007), o MGMT não quis repetir a fórmula. Ao contrário, Congratulations explorou uma sonoridade menos comercial e mais psicodélica/progressiva.

Circa Survive – Blue Sky Noise

Desde Juturna (2005), o Circa Survive havia se estabelecido como uma das bandas mais interessantes do post-hardcore. Misturando elementos do indie, emo e até do rock progressivo, o excelente Blue Sky Noise chegou para elevar a carreira dos caras e é um dos melhores discos de 2010.

Hole – Nobody’s Daughter

12 anos depois do lendário Celebrity Skin, o Hole voltou para um último (por enquanto!) disco de estúdio em 2010. Nobody’s Daughter não foi lá muito aclamado, mas ainda rendeu boas faixas como “Skinny Little Bitch” e “Pacific Coast Highway”.

Minus the Bear – Omni

A produção do lendário Joe Chiccarelli (The White Stripes, My Morning Jacket) ajudou o Minus the Bear a transformar sua sonoridade única em algo digerível pelo grande público. O resultado foi o ótimo Omni, com singles como “Into the Mirror” e “My Time” liderando a obra.

Deftones – Diamond Eyes

Deftones - Diamond Eyes

Um dos melhores discos da década, Diamond Eyes foi a ressurreição de uma banda que havia passado por vários apuros. Com uma sonoridade repaginada, o Deftones nos presentou com uma verdadeira obra-prima recheada de ótimas músicas como a faixa título, “Sextape”, “Rocket Skates” e “CMND/CTRL”.

Foals – Total Life Forever

A estreia do Foals com Antidotes em 2006 mostrou uma banda crua, cheia de talento e experimentação. Em Total Life Forever, os britânicos elaboraram mais a sonoridade e trouxeram elementos até do post rock, como vemos no single “Spanish Sahara”.

The National – High Violet

Chegando ao terceiro lugar da Billboard, High Violet foi o maior sucesso do The National à época. Até hoje, algumas de suas canções estão entre as favoritas dos fãs; os singles “Bloodbuzz Ohio” e “Terrible Love” são exemplos, além de “Vanderlyle Crybaby Geeks” que tem fechado os shows da banda.

LCD Soundsystem – This Is Happening

LCD Soundsystem definiu uma geração da música e foi com This Is Happening que produziu o seu maior sucesso (“Dance Yrself Clean”). O disco foi o último da banda antes do retorno em 2017 com American Dream.

Band of Horses – Infinite Arms

Band of Horses - Infinite Arms

Grande nome do indie rock, o Band of Horses teve seu maior sucesso (“The Funeral”) logo no seu álbum de estreia em 2006. Mas Infinite Arms foi o auge do grupo e chegou até a ser nomeado ao Grammy de Melhor Álbum Alternativo.

The Black Keys – Brothers

The Black Keys - Brothers [2010]

O rock passava por apuros no início da década passada e o Black Keys surgiu com uma dupla de álbuns em 2010 e 2011 que colocou o gênero no topo do mainstream novamente. Brothers foi o primeiro, antes de El Camino, e os singles “Tighten Up” e “Howlin’ for You” seguem tocando em várias rádios, estádios e festas pelo mundo.

Janelle Monáe – The ArchAndroid

Janelle Monáe - The Archandroid

Continuando a história de um androide messiânico, The ArchAndroid contém a segunda e terceira partes da série conceitual Metropolis. Os singles “Tightrope” (com participação de Big Boi) e “Cold War” lideraram o disco.

Tame Impala – Innerspeaker

Tame Impala - Innerspeaker

Kevin Parker lançou o Tame Impala ao mundo com o excelente Innerspeaker em 2010. Desde então, o australiano tem uma das carreiras mais bem sucedidas da música alternativa.

Ozzy Osbourne – Scream

Ozzy Osbourne - Scream

Até então último disco de estúdio do lendário Príncipe das Trevas, Scream foi o primeiro trabalho a ter Gus G nas guitarras e a sonoridade sofreu mudanças consideráveis por conta disso. Felizmente, esse ano de 2020 nos trará outro álbum de Ozzy Osbourne!

The Gaslight Anthem – American Slang

The Gaslight Anthem - American Slang

The Gaslight Anthem conseguiu ter uma boa presença no mainstream com The ’59 Sound em 2008; dois anos depois, American Slang curiosamente se afastou daquela sonoridade e trouxe uma banda mais moderna, como podemos ver na faixa título.

Tulipa Ruiz – Efêmera

Efêmera apresentou a sensacional Tulipa Ruiz e ajudou a definir uma das maiores vozes dessa geração contemporânea. Além do hit “Só Sei Dançar com Você”, o álbum ainda trouxe os sucessos “Efêmera” e “Do Amor”.

PRÓXIMA PÁGINA