BK no Hip Hop Machine

Idealizado pela Agência Milk com o saxofonista Leo Gandelman, o projeto Hip Hop Machine traz nesta semana o rapper BK’ cantando quatro faixas autorais em um EP lançado nas principais plataformas de streaming e acompanhado por vídeos disponibilizados no YouTube.

A série, com distribuição da Milk em parceria com a Altafonte, busca unir o rap e o jazz em performances diferenciadas com dez artistas. A cada semana, um deles é selecionado para gravar suas canções para o projeto.

O primeiro a gravar foi o grupo Haikaiss e agora foi a vez de BK’. “Um estilo é feito pro outro e forma um encontro sensacional. A ideia dessa mistura já vem sendo desenvolvida nos Estados Unidos e em outros país há algum tempo. Na década de 1990 teve seu auge, mas logo depois foi esquecida. Com o avanço do hip hop, que hoje é um dos ritmos mais ouvidos no mundo, a prática voltou”, afirma Leo, que assina a direção artística do projeto junto com Bruno Costa.

O saxofonista conta que teve a ideia para o projeto depois de assistir ao documentário da Netflix Quincy (2018), que narra a vida e obra do lendário cantor e produtor de discos e de cinema Quincy Jones.

Hip Hop Machine

Em Hip Hop Machine, as novas versões são capturadas por uma câmera em movimento, tendo por objetivo transportar o público para dentro da sessão de estúdio. “O improviso é o maior legado da música americana. Jazzistas como Charlie Parker e John Coltrane trouxeram a atitude para o gênero, o que significava criar o que está dizendo ao mesmo tempo em que se está fazendo. O improviso transcendeu o jazz e chegou ao rap”, observa Leo Gandelman, que já pensa em uma segunda temporada para a série.

As músicas apresentadas por BK’ no projeto foram “Deus do Furdunço”, “Planos”, “Julius” e “Titãs”. Os próximos artistas a terem seus episódios disponibilizados serão (não necessariamente nesta ordem): Baco Exu do Blues, Karol Conka, 1Kilo, 3030, Luccas Carlos, Gabz, Delacruz e BNegão.