O novo disco do Paulo Miklos é uma das coisas mais belas e honestas que você irá ouvir em 2017

Álbum conta com parcerias ao lado de Céu, Emicida, Russo Passapusso, O Terno e mais

Paulo Miklos - A Gente Mora no Agora
 

Quando deixou o Titãs há alguns meses, Paulo Miklos disse que iria se dedicar a outros projetos, sendo que alguns deles estavam ligados à atuação e também à participação em programas de TV.

Na época ele não entrou em detalhes específicos sobre como conduziria a carreira musical, mas hoje (11) nos presentou com uma verdadeira pérola: o disco A Gente Mora no Agora.

Lançado pela Deck, o álbum conta com 13 faixas que mostram diversas influências da música brasileira e uma atuação vocal impecável do ex-Titã, que passeia pelas canções falando sobre os mais diversos assuntos de forma honestíssima.

Em faixas como “Vou Te Encontrar” (escrita por Nando Reis) e “Estou Pronto”, ele abre o coração e nos chama para conversar sobre situações profundas de sua vida pessoal, como a morte da esposa Rachel em 2013, com quem foi casado por mais de 30 anos.

Já em “Deixar de Ser Alguém” ele fala sobre o dilema entre fazer o que gosta versus ganhar dinheiro e é muito fácil se relacionar com o que Paulo Miklos diz em seu álbum.

Quem produziu A Gente Mora no Agora foi Pupillo (Nação Zumbi), com coprodução de Apollo Nove, e o time de estrelas só cresce: Emicida ajudou a compor “A Lei Desse Troço”, Arnaldo Antunes trabalhou em “Deixar de Ser Alguém”, Mallu Magalhães escreveu “Não Posso Mais” e Tim Bernardes (O Terno) é parceiro de Miklos em “Samba Bomba”.

Não para por aí: “Risco Azul” é uma parceria com Céu, assim como “Princípio Ativo”, e SILVA escreveu a melodia de “Todo Grande Amor”, enquanto Russo Passapusso (BaianaSystem) compôs a letra de “Vigia”. Erasmo Carlos foi o parceiro em “País Elétrico” e Guilherme Arantes musicou os versos de “Estou Pronto”. Por fim, “Afeto Manifesto” foi escrita com a rapper paulista Lurdez Da Luz.

Os músicos também formam um grupo espetacular com o baixo de Dadi Carvalho (Novos Baianos, A Cor do Som, Tribalistas), os teclados de Mauricio Fleury (Bixiga 70) e os violões de Everson Pessoa (ex-Quinteto em Branco e Preto), além de intervenções do multi-instrumentista Apollo Nove (Rita Lee e Planet Hemp).

O álbum foi mixado em Los Angeles por Mario Caldato Jr. (Beastie Boys, Jack Johnson).

Ouça logo abaixo. Recomendamos muito.

 Deslize a tela para baixo e continue lendo as notícias do TMDQA automaticamente! 

Comentários