Eminem em 2019
Foto de Eminem via Shutterstock

Uma das novidades das últimas semanas é a lista de artistas anunciados para o Rock and Roll Hall of Fame. Com Dolly Parton e Duran Duran entre os escolhidos, há também a presença de Eminem na classe de 2022, que marca também o 10º artista do hip-hop a ser consagrado no hall.

Em uma nova entrevista do CEO do Hall da Fama, Greg Harris, a inclusão de Eminem foi pauta e também defendida. De acordo com o que o executivo falou ao Audacy (via Consequence), a presença do rapper na lista se dá por conta de sua música ser “tão forte e direta quanto qualquer outra música de metal”:

Se você ouve a música dele, é tão forte e direta quanto qualquer música de metal. É logo ali. É um soco no peito com mensagem, com força, com ritmo e com banda. Estamos empolgados por ele entrar em seu primeiro ano de elegibilidade, é uma grande mensagem.

Harris comenta sobre elegibilidade porque, para se tornar um nome elegível na época das votações, é necessário que o artista tenha lançado seu primeiro álbum há 25 anos, além de ter certa influência, duração e profundidade de carreira. Técnica e estilo também são fatores levados em consideração.

Para finalizar, o CEO pontua que Eminem nunca foi um nome estranho para o Hall da Fama:

Ele veio e nos ajudou. Ele veio e ajudou a induzir o Run-DMC, e então ele apareceu no palco durante a cerimônia de indução com LL Cool J e quebraram tudo. Adoro que ele esteja olhando para suas influências, e agora ele está no centro das atenções, e influenciando muito mais.

Merecido?

Rap no Hall da Fama

Entre os outros artistas do gênero que já foram homenageados no Hall estão Grandmaster Flash & the Furious Five, Beastie Boys, Public Enemy, NWA, Tupac Shakur, The Notorious BIG e Jay-Z.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar