Twitter e ouvir música
Foto via Shutterstock

A compra do Twitter por Elon Musk já está gerando alguns efeitos na gigante das redes sociais.

Pouco depois do acordo feito com o homem mais rico do mundo, a plataforma observou uma série de desativações “orgânicas” e mudanças significativas no número de seguidores de alguns dos maiores perfis do Twitter.

Como te contamos no início desta semana, Elon Musk pagou cerca de US$44 bilhões pela rede social toda — o que equivale a quase R$215 bilhões e marca a transação mais cara da história envolvendo uma plataforma digital.

Mudanças no Twitter após a compra de Elon Musk

Na última terça-feira (26), a NBC News (via Billboard) informou que os números de seguidores de algumas das contas mais populares do Twitter, incluindo o ex-presidente Barack Obama e as cantoras Katy Perry e Taylor Swift, foram reduzidos de forma surpreendente.

Obama, que tem o perfil mais seguido do Twitter com 131,7 milhões de seguidores, registrou uma diminuição de 300 mil seguidores desde segunda-feira (25). Já Perry, que tem 108,8 milhões de seguidores, perdeu 200 mil.

O Twitter tem costume de desativar bots e contas falsas que podem levar à queda na contagem de seguidores mas, sobre o recente caso, a empresa confirmou à NBC que as quedas foram “orgânicas” e não automatizadas ou por exclusão de bots, o que mostra que centenas de milhares de contas de usuários estão desativando seus perfis por vontade própria.

Foi observado também que, por outro lado, os números de seguidores de políticos e personalidades populares de direita tiveram aumentos importantes desde que a notícia da aquisição de Musk foi divulgada.

A NBC News aponta que Marjorie Taylor Greene, personalidade que foi suspensa no Twitter após espalhar fake news sobre a COVID-19, viu sua conta do Congresso, a qual ela vem usando, ganhar 100 mil novos seguidores. E isso aconteceu após ela celebrar a compra de Musk, como te contamos aqui.

Já o atual presidente do Brasil Jair Bolsonaro, com fortes ligações à extrema direita, ganhou 90 mil seguidores em seu perfil do Twitter desde a última segunda-feira. Um estudo, no entanto, mostrou que cerca de 65 mil destas são contas automatizadas/bots.

Elon Musk e a “liberdade de expressão”

Muitos usuários possivelmente desativaram suas contas da plataforma por se preocuparem com a abordagem de Elon Musk. Após adquirir a empresa, ele deixou claro que a tal “liberdade de expressão” será um dos grandes pilares de sua gestão da rede social.

Muitos acreditam que isso possa gerar políticas menos rigorosas com relação a abuso, grupos políticos extremistas e o retorno de usuários que foram banidos anteriormente.

Vamos acompanhar as próximas movimentações de Musk em relação ao Twitter.

LEIA TAMBÉM: Jack Dorsey, criador do Twitter, usa Radiohead para apoiar compra de Elon Musk

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar