Diretora fã de Iron Maiden
Reprodução/Instagram
 

Nos últimos dias, você deve ter visto por aqui que falamos sobre o caso de Sharon Burns, diretora de um colégio no Canadá que foi acusada de “satanismo” por fazer postagens com símbolos relacionados ao seu amor pelo Iron Maiden, como o mascote Eddie e o número 666.

Na ocasião, “pais preocupados” com a situação resolveram criar uma petição para que ela fosse transferida a outro colégio. Em resposta, alunos e outros apoiadores da diretora explicaram que ela “transformou o [colégio] em um lugar seguro para tantas pessoas” e criaram outra petição, dessa vez pela permanência de Sharon.

Alguns dias depois, a resolução foi positiva para a metaleira. Como conta a Blabbermouth, Burns teve sua situação analisada pelo Conselho Escolar do Distrito do Niagara e a chefe de comunicações do conselho, Kim Sweeney, afirmou ao National Post que a questão está “encerrada” e que não haverá qualquer tipo de “ação disciplinar ou mudança de políticas”.

Ela ainda finalizou:

Nossa crença é de que o gosto musical é subjetivo e nós apoiamos que tanto os estudantes quanto a equipe [do colégio] curtam uma grande variedade de gêneros.

Melhor assim, né? Hoje é dia de soltar aquele “The Number of the Beast” no máximo pra comemorar!

 
Compartilhar