Dave Grohl recria The Best
Reprodução/YouTube
 

Dave Grohl falou sobre a responsabilidade e os riscos de fazer uma turnê ainda em pandemia.

Como você já deve saber, os grandes shows voltaram com tudo — ou quase — nos Estados Unidos. O Foo Fighters foi uma das bandas que liderou esse movimento, já que os caras reabriram o Madison Square Garden, em Nova York, em junho deste ano. Desde então, o grupo segue em turnê.

Acontece que, em julho, a banda de Grohl teve que cancelar um show importante em Los Angeles após receber um teste positivo para COVID-19 em sua equipe. Casos como este, que estão cada dia mais comuns por lá, têm levantado um debate importante sobre a prudência desse retorno ainda este ano.

Em conversa com a NME, Dave falou um pouco sobre o momento que a banda vive (via The PRP):

As duas horas e meia no palco são incríveis. São as outras horas do dia que representam um desafio por causa de todos os novos requisitos, restrições e diretrizes. Você tem que ter muito cuidado. Quando você está viajando com uma equipe de 60 pessoas de um estado para outro e de um local para outro, você tenta o seu melhor para se manter dentro da bolha da banda porque algo pode acontecer a qualquer momento. Você acorda todos os dias e cruza os dedos, e torce para conseguir subir ao palco.

Dave Grohl também falou sobre o sentimento de poder tocar ao vivo depois de tanto tempo, e que sente a mesma coisa vinda dos fãs. Em seguida, porém, Grohl reafirmou que ainda não está na hora de marcar uma turnê mais extensa, principalmente em outros países. “A prioridade da banda ainda é a segurança de todos”, ele garante.

Foo Fighters

Vale lembrar que o grupo ainda tem mais algumas dezenas de apresentações nos Estados Unidos antes de seguir para o México, no fim do ano. Em 2022, o grupo tem shows marcados na Europa, e está confirmado em festivais como o Rock In Rio Lisboa.

Quem sabe rola uma passada por aqui se tudo estiver mais resolvido até lá?

 
Compartilhar