Zeke Nnaji
Reprodução/YouTube
Ouça playlist com clássicos do Rock!  

Nesta quarta-feira, 18 de Novembro, a NBA recebeu uma nova geração de atletas por meio de seu Draft. Acontece que, entre os 60 jovens escolhidos, está Zeke Nnaji, que também tem um vasto talento musical.

Selecionado com a 22ª escolha da primeira rodada, uma posição considerada boa entre os jogadores da liga, o garoto de 19 anos mostrou durante seu tempo na Universidade do Arizona que poderia dominar a zona mais próxima à cesta e foi capaz de colecionar cenas para montar um belo “DVD” com seus melhores momentos.

Continua após o vídeo

Com médias de 16,1 pontos por jogo (em 57% de aproveitamento dos arremessos) e 8,6 rebotes por jogo, Nnaji era uma das opções mais interessantes para o garrafão de qualquer time e não à toa foi escolhido pelo Denver Nuggets, que trabalha com a possibilidade de perder alguns atletas da sua posição.

Zeke Nnaji e a música

Mas aqui é um site de música, e é claro que vamos falar desse lado da carreira de Zeke: desde muito jovem, o piano tem servido como uma escapatória para o garoto. Aliás, logo abaixo você pode ver um vídeo do atleta aos 9 anos de idade mandando ver nas teclas.

Continua após o vídeo

Aliás, essa habilidade inclusive o ajudou a ser recrutado pelos Nuggets. O presidente de operações de basquete do clube, Tim Connelly, contou que pediu brincando para que Nnaji tocasse um pouco durante a entrevista realizada via Zoom — para a surpresa do executivo, ele o fez e esse “momento orgânico” foi citado como algo que a organização buscava.

Em uma entrevista para a própria televisão da Universidade do Arizona, Zeke explicou sua relação com a música:

Desde que eu era uma criança eu tinha esse pequeno teclado com umas 20 teclas, e mesmo bem novinho eu já o tocava, antes da pré-escola. Uma vez que eu cheguei à 1ª Série, meus pais acharam que deveriam me inscrever em aulas de piano e foi aí que eu comecei.

Minha família é bem musical; minha avó era professora de piano e minha mãe tocava um pouco de piano. Meu pai não tocava piano, mas fez parte de uma banda e ele cantava bastante.

[…]

A música é uma escapatória pra mim. Desde pequeno, depois do treino, eu chegava em casa e ia tocar piano ou então quando chegava da escola, ou até enquanto esperava a comida no microondas eu ia tocar piano, mesmo que fossem 2 ou 3 minutos só. É algo que eu realmente gosto e me ajuda a relaxar, a criar, e isso faz com que eu me sinta muito calmo e capaz de organizar meus pensamentos.

Ele diz ainda que “Georgia Porcupine”, de George Fischoff, é a música mais difícil que já aprendeu. Mas ele também escreve suas músicas e, ainda que não tenhamos encontrado nenhuma publicada até agora, certamente podemos esperar algo no futuro — ele já tem algumas gravações, feitas em um estúdio (aparentemente) caseiro.

Continua após o vídeo

Até agora, o maior “show” de Zeke Nnaji foi o do vídeo acima: durante uma partida da sua faculdade, ele tocou um arranjo especial do hino nacional dos EUA, e contou na entrevista que “foi ótimo; eu só comecei a tocar e minha mente deu branco, eu só deixei meus dedos fazerem todo o trabalho”.

Você pode conferir essa entrevista completa (em inglês) pelo vídeo abaixo, e em seguida é possível encontrar uma gravação de Zeke aos 9 anos de idade já mandando ver nas teclas. Agora é esperar o show nas quadras!

 
Compartilhar