Robert Smith com o The Cure em Praga, 2016
Foto de Robert Smith com o The Cure via Shutterstock
   

The Cure não lança um disco desde 2008, quando divulgou ao mundo 4:13 Dream, mas isso não significa que os caras tenham parado por aí.

Como havíamos falado por aqui, o vocalista Robert Smith já tinha falado que a banda preparava três novos álbuns. Ele chegou até a afirmar que o primeiro deles sairia em 2020 mas, agora, o tecladista Roger O’Donnell deu uma nova declaração sobre esse trabalho que confundiu (e empolgou) os fãs.

Falando à Classic Pop (via Brooklyn Vegan), Roger explicou:

Quatro anos atrás, eu falei ao Robert, ‘Nós temos que fazer mais um disco. Tem que ser o mais intenso, mais triste, mais dramático e mais emotivo disco que já fizemos, e aí podemos simplesmente nos aposentar’. Ele concordou. Ouvindo as demos, é esse disco. Eu acho que todos ficarão felizes com ele.

O problema é, são 12 anos desde o último álbum, então ele se torna precioso. Quando você tem um catálogo como o do The Cure, há uma grande expectativa. O Robert disse, ‘Se o The Cure tem algo a mais para dizer, é bom que seja importante e é bom que seja bom pra caralho’. […] E é, vai ser um disco incrível. Eu só sugiro um pouco de paciência.

Vamos aguardar então, né?

Novo(s) disco(s) do The Cure

Nos últimos anos a banda conhecida pelo Post-Punk, New Wave e música Gótica se especializou na curadoria de festivais onde toca e também escala seus parceiros de palco.

Vale lembrar que ao mesmo tempo que Robert prometeu um novo disco em 2020, ele disse que é “velho demais” para se comprometer com isso. Ele ainda afirmou que apenas dois discos seriam da banda toda, e “a terceira coisa é só comigo, é só uma hora de mim”.

Ele já tinha comentado anteriormente que esse terceiro projeto seria “maluco” e “um disco de barulhos”.

LEIA TAMBÉM: The Cure: relembre especial da MTV com AFI, Marilyn Manson e Deftones

 
 
Compartilhar