Roger Waters em Curitiba
Foto por Aline Krupkoski
 

Há alguns dias o lendário Roger Waters falou com a Rolling Stone e não mediu palavras durante a entrevista.

Entre outras coisas, a lenda do Pink Floyd conversou abertamente sobre como “uma reunião da banda seria uma merda”, dizendo que prefere a carreira solo a voltar para “as amarras” do grupo britânico.

Entre outras coisas, Waters também falou sobre como a pandemia está afetando o mercado da música, principalmente do entretenimento ao vivo.

Mais especificamente, o músico de 76 anos de idade falou sobre como músicos idosos terão problemas para voltar após a “normalização” da COVID-19, sendo que vários deles terão até medo de pisar em um palco novamente.

Quando questionado se estaria confortável para retornar antes que exista uma vacina, ele disse (via Ultimate-Guitar):

Eu não sei, essa é a pergunta que não posso responder. Quem vai saber quando haverá uma vacina? As pessoas estão chutando, elas chutam que na melhor das hipóteses será um ano, mas um ano a partir de tipo, o mês que vem. Mas é tudo chute, ninguém realmente sabe.

As pessoas estão trabalhando nisso por diferentes razões. Algumas pessoas porque acreditam em salvar vidas e outras pessoas porque acreditam em ganhar dinheiro, e talvez algumas estejam motivadas pelos dois, vai saber.

Aposentadoria de Roger Waters

O repórter então falou sobre como há muitos músicos no grupo de risco que podem ter feito o último show da carreira ou que só tenham segurança de voltar ao palco após uma vacina, e Roger Waters falou então sobre a possibilidade da aposentadoria:

Bem, algumas pessoas fizeram seus últimos shows porque elas estão velhas pra caralho. Como eu, por exemplo. Eu pensei muito antes de agendar a turnê para o próximo Verão [Inverno no Brasil] porque eu estava cansado apesar de um tempo desde que terminei a turnê anterior, 10 meses ou algo assim.

Eu tive que tomar uma decisão, de apertar o botão ou não apertar. Desde então, falando de fatores de risco, eu estava andando por aí com uma infecção bacteriana; não andando por aí, eu estive fazendo shows por meses e meses, não me sentia bem, mas o show teve que seguir em frente.

Então quando eu decidi apertar o botão pela turnê, ‘Sim, eu estou mais saudável agora. Eu entendi o que era, tratei e posso fazer isso.’ E eu posso, mas tenho 76 anos de idade, então no ano que vem terei 77.

Eu acho difícil me imaginar fazendo um show de rock and roll de arena quando tiver mais de 80 anos de idade, e isso irá acontecer em quatro ou cinco anos, então você sabe… tudo chega a um final, como todos sabemos.

Foi um pouco diferente se você era alguém como B.B. King, e ninguém vive para sempre – mas há uma diferença entre sentar em uma cadeira cantando blues e o que eu faço.

Vale lembrar que Roger Waters havia anunciado a nova turnê como “a mais política” que já havia feito, e na entrevista ele disse que os shows iriam misturar música com cinema, já que havia contratado atores para participar das apresentações.

 
 
Compartilhar