Green Day na Itália, 2017
Foto do Green Day via Shutterstock
 

No último dia 12 de Agosto um grande grupo de chamados “supremacistas brancos” se reuniu na cidade de Charlottesville, nos Estados Unidos, liderados por um blogueiro de extrema direita chamado Jason Kessler.

Por lá, os “cidadãos de bem” carregaram armas e símbolos neonazistas, além de gritarem e cantarem contra negros e gays, e tudo acabou de forma trágica quando um deles, admirador de Adolf Hitler, avançou com seu carro para cima de uma multidão que fazia oposição à marcha e matou uma mulher chamada Heather Heyer.

O mundo do entretenimento, tanto na música quanto na TV e Cinema, respondeu rapidamente ao que aconteceu em Charlottesville, e Billie Joe Armstrong, do Green Day, foi bem claro quanto ao assunto:

Eu sinto que o que aconteceu em Charlottesville vai além da raiva. Me deixa triste e desesperado. Chocado. Eu odeio o racismo mais do que qualquer coisa. Música e justiça social sempre andaram lado a lado para mim. Não estaríamos aqui se não fosse por ‘the times they are a-changin’, e algumas pessoas não concordam. O espírito do Green Day sempre teve a ver com superar a opressão e defender o que você acredita e cantar sobre isso o mais alto que conseguir. Crescemos com medo do holocausto nuclear por causa da Guerra Fria. Aqueles dias estão parecendo relevantes esses dias. Essas questões são o nosso passado terrível que agora está voltando para nos assombrar. Sempre resista a políticos de fim do mundo, e nas palavras dos nossos pais do punk, Nazi Punks Fuck Off.

A Dave Matthews Band, que surgiu na cidade, também falou a respeito:

Estamos todos enojados com os atos de racismo e terrorismo cheio de ódio na nossa cidade natal esse fim de semana. Como os de tantos, nossos corações estão partidos. Nossos pensamentos ficam com as famílias e vítimas desses atos inacreditáveis. Essa não é a Charlottesville que conhecemos e amamos.

Vale lembrar que o governador da Virginia (estado de Charlottesville) Terry McAuliffe, disse que ali não há lugar para nazistas e que essas pessoas se passam por americanos mas não são, e deveriam ir embora. Ainda disse que todos são mais fortes do que os que pregam o ódio.

Hoje mais cedo, o presidente dos EUA, Donald Trump, finalmente se pronunciou a respeito e disse que organizações como a KKK e supremacistas brancos são “repugnantes”. Apesar disso, muita gente tem criticado o cara pela demora e por, aparentemente, ter lido a mensagem de um teleprompter.

Em tempo, o TMDQA! está ao lado de nomes como Billie Joe e não tolera nenhum tipo de violência contra minorias, racismo, homofobia ou ações patéticas como as que aconteceram em Charlottesville. Não há lugar para a intolerância no mundo em que vivemos.

Omaha!! what a show! I love the heartland. nothing makes me feel more inspired than hearing an arena singing together…..

Posted by Green Day on Sunday, August 13, 2017

Dave Matthews Band is heartbroken and disgusted by the acts of racism, violence, and domestic terrorism in our hometown…

Posted by Dave Matthews Band on Saturday, August 12, 2017

Word! #FuckRacism

A post shared by XⓋX (@tobymorse) on

We defeated both theses flags before and will do so again. RP #BillyBragg

A post shared by Tom Morello (@tommorello) on