Goiânia Rock(s)
 

Mesmo sendo consideravelmente nova, Goiânia é vista como parte importante de uma rede de cidades ao redor do mundo que abrigam cenas de rock alternativo.

A capital goiana é palco de importantes festivais e ainda conta com selos e produtoras independentes, além de bandas de grande destaque nacional e internacional, sendo apelidada algumas vezes de Goiânia Rock City ou “Seattle Brasileira”.

A relevância desta cena de rock é o tema central de Goiânia Rock(s), documentário produzido por Felipe Café e Fernanda Meireles, jornalistas graduados pela PUC-GO, que está sendo lançado em primeira mão aqui no TMDQA!

Com uma estética totalmente Do It Yourself, o curta foi produzido entre 2015 e 2016 e tem duração de 20 minutos.

Durante este breve recorte de tempo, o filme busca apresentar ao público a relevância do rock goiano em âmbito nacional, por meio de uma narrativa que procura um ponto de convergência entre as falas dos personagens, coordenando relatos de relevantes nomes do rock goiano e nacional, além de resgatar em vídeos, fotos e áudios alguns eventos e shows significativos da cidade.

O filme foi produzido inicialmente como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), mas com fôlego e pretensão de ultrapassar as barreiras acadêmicas. Esta não é a primeira vez que o tema “rock goiano” é abordado em produções audiovisuais, mas o filme é pioneiro em investigar a real relevância desta cena musical. Esta não é uma história completa do rock goiano, é apenas um recorte, uma vírgula em toda a narrativa que a cena de rock goiana construiu e ainda pretende construir.

Durante a produção do filme, diversas dificuldades técnicas foram enfrentadas pelos diretores, com falhas no áudio e até mesmo na captação de algumas imagens, mas o principal (que é o conteúdo) se manteve intacto e com um apelo histórico, sendo esta a motivação da divulgação do material.

Assista:

A trilha sonora do filme é totalmente composta por faixas de bandas goianas, indo desde grupos mais antigos como o MQN e o Mechanics até destaques do cenário atual como Overfuzz, Hellbenders, Carne Doce e Boogarins.

E Goiânia Rock(s) não para por aqui…

A intenção é futuramente apostar em parcerias e/ou em um financiamento coletivo para expandir este trabalho com a realização de novas entrevistas e com a utilização das quase 10 horas de material em vídeo captado durante as entrevistas já realizadas, que ainda estão disponíveis e inéditas. Além disso, estão guardados também quase 600 GB de imagens de cobertura e momentos memoráveis de eventos em Goiânia.