Lita Ford, ex-guitarrista da extinta The Runaways, anda dando declarações bem polêmicas sobre seu tempo na banda e sua vida pós-fama no geral.

Com o lançamento de uma autobiografia neste ano, Lita já revelou que teve um relacionamento abusivo com Tony Iommi (Black Sabbath), e recentemente, disse que deixou a banda por um período após descobrir que suas integrantes eram todas homossexuais:

“Isso foi no início dos anos 70, meados dos anos 70, e eu não estava ciente da homossexualidade; eu não sabia nada sobre isso. A coisa toda ainda estava no armário, ninguém dizia abertamente, ‘Eu sou gay’ – ninguém se assumia naquela época. E quando eu descobri que as meninas da banda eram todas gays, eu não tinha certeza de como lidar, e eu não sabia o que era. Eu tinha apenas dezesseis anos na época. E eu saí da banda. Fui para casa e disse aos meus pais que era culpa do nosso assessor; COLOQUEI tudo isso em cima dele e disse que ele era muito estranho e eu não podia lidar com ele. […] Mas esse não foi o caso. Então, eu pensei sobre aquilo por umas duas semanas, e cheguei À conclusão: ‘Sabe, isso realmente não é uma grande coisa. Eu não deveria me preocupar com isso. E peço a Deus que elas me liguem e me peçam para voltar à banda.’ […] E graças a Deus elas me chamaram de volta dizendo: ‘Lita, não conseguimos encontrar alguém que toque guitarra como você. Por favor, volte.'”

Ao ser questionada se sua volta ao Runaways foi tensa, Lita disse que não, pois as integrantes sabiam que ela era hétero e não ligavam para aquilo. Ela também revelou que as colegas de banda não sabiam o motivo real pelo qual ela tinha saído do grupo.

Assista ao vídeo da entrevista ao fim da matéria.

Reunião do The Runaways

A guitarrista já demonstrou algumas vezes seu interesse por uma reunião da banda, mas parece que isso está longe de acontecer. Segundo Lita, Joan Jett não está interessada no momento devido a sua consolidada carreira solo, e uma reunião só não aconteceu nos anos 90 devido à explosão do Nirvana. Leia mais clicando aqui.