Rudolph Giuliani critica performance de Beyoncé no Super Bowl
 

No último Domingo aconteceu em San Francisco, nos Estados Unidos, o aguardadíssimo Super Bowl 50, final do campeonato de futebol americano da NFL.

A atração oficial do famigerado show do intervalo era o Coldplay, mas quem fez muito barulho com sua performance foi a cantora Beyoncé, que com uma participação especial, cantou a nova “Formation” e levou os fãs à loucura no mundo todo.

A música foi lançada algumas horas antes do evento com um clipe bombástico que toca em vários pontos das questões raciais nos Estados Unidos.

No Super Bowl, Beyoncé foi acompanhada de dançarinas que usavam roupas remetendo à organização Panteras Negras, que foi fundada em 1966 para monitorar e denunciar o abuso policial contra os negros na região de Oakland, na Califórnia.

Quem tem sido acusada de violência contra os negros recentemente é a polícia de Nova York, principalmente por conta de casos como o de Eric Garner, morto por um policial que lhe estrangulou nas ruas da cidade e tudo foi filmado em vídeo.

Pois justamente o ex-prefeito da “capital do mundo”, Rudolph “Rudy” Giuliani, criticou a performance da cantora, dizendo primeiro que “o show do Super Bowl foi ridículo, com um monte de gente pulando pra lá e pra cá e coisas estranhas. Foi terrível.” Depois, ele falou especificamente sobre Beyoncé:

Isso é futebol americano, e não Hollywood, e eu achei que foi revoltante ela ter usado o show como uma plataforma para atacar policiais que são as pessoas que a protegem e nos protegem, nos mantêm vivos. E o que deveríamos estar fazendo pela comunidade de afro-americanos, e todas as comunidades, é dar respeito aos policiais. E nos concentrarmos no fato de que quando alguém faz algo errado, okay. Trabalharemos nisso. Mas a maioria dos policiais arriscam as suas vidas para nos manter seguros. Que tenhamos entretenimento decente e saudável.

Como a Billboard bem apontou, a apresentação terminou com a frase “acredite no amor”, e em nenhum momento fez críticas diretas à polícia. Nas redes sociais ela apoiou movimentos que lutam contra a violência, principalmente aquela baseada nas diferentes raças.

Você pode ver a entrevista logo abaixo.