Não Contém Glúten
 

Não Contém Glúten

Nós aqui do Tenho Mais Discos Que Amigos! recebemos material de bandas novas praticamente todos os dias, e há algum tempo fomos presentados com o EP GNU, da banda de Florianópolis que atende pelo nome de Não Contém Glúten.

O trabalho é um dos melhores que ouvi na cena independente em alguns anos e não sai de meu CD player.

Com letras que conseguem ser inteligentes e ingênuas ao mesmo tempo, músicas bem construídas, metais e um claro amor pelo que faz, o Não Contém Glúten mescla pop, rock e até folk como poucos, e logo abaixo você confere uma entrevista que fizemos com os caras a respeito de seu trabalho.

Antes de ler, clique aqui e baixe o EP gratuitamente para colocar de trilha sonora. Você não vai se arrepender.

TMDQA!: Conte-nos um pouco sobre a história da banda
Não Contém Glúten: Olá pessoal do TMDQA! Nossa banda existe desde 2006, época em que estávamos no ensino médio, e montamos a banda já com a ambiciosa ideia de tocar somente músicas próprias. Fosse no mundo da música, fosse em qualquer campo de arte, nosso fascínio estava na criação, no expressar. Por isso a banda surgiu.

 

TMDQA!: O EP “GNU” é sem dúvida alguma o disco nacional que eu mais tenho ouvido esse ano. Como foi o processo de composição e gravação dele?
Não Contém Glúten: \o/ Primeiramente não podemos deixar de dizer que ficamos lisonjeadíssimos em saber disso! Quanto ao processo de composição e gravação do disco, foi, na verdade, algo muito louco, feito até um pouco às pressas. Como a Não Contém Glúten girou desde o princípio em torno de composições, com o passar dos anos acumulamos muitas delas (sem que conseguíssemos grava-las). Com a viagem de um dos membros para o exterior – onde estudaria por dois semestres, em período de intercâmbio acadêmico – a banda ficou estagnada, mas não a nossa ansiedade de tocar, compor, etc. Com o fim do período de intercâmbio e iminente retorno do integrante, toda essa ansiedade culminou na unânime vontade de registrar esse material de uma vez.

Mais de um ano havia se passado desde que a banda tinha feito seu último ensaio, contudo, antes mesmo que pudéssemos começar a pensar em compor mais material ou mostrar uns pros outros o que tínhamos feito neste um ano parados, nos enfiamos no estúdio para pré-produzir essas músicas, gravando-as logo em seguida. A única exceção é “Fúria Furada”, que foi composta enquanto o Ted estava no exterior – daí, inclusive, a razão de ela ter sido escrita em outra língua.

Não Contém Glúten

TMDQA!: Vocês costumam utilizar títulos de músicas que não têm relação direta com o conteúdo das letras. Qual é a ideia por trás do batismo de cada canção?
NCG: Na verdade a intenção é oferecer uma informação adicional. Se temos um espaço tão nobre – como o título da música – pra passar algo para o ouvinte, porque “repetir” algo – palavra, frase, expressão, o que for – que já está na letra? É como se um pouco do que quiséssemos passar estivesse na música (o instrumental em si), um pouco na letra, e um outro pouco no título! Algumas pessoas enxergaram uma certa relação entre nós – por colocar títulos inusitados – com o pintor belga René Magritte, por exemplo. Fui pesquisar e realmente achei fantástico. O cara pintava um cavalo e chamava de “o vento”. Isso não era por acaso, ele certamente queria passar aquilo, queria incluir (ou ressaltar) “o vento” na concepção da obra, fosse o vento em si, ou fosse somente a palavra “o vento”, as letras, o fonema, enfim.
Conosco não é muito diferente. Colocar um título na música com palavras que estão no refrão, pra nós, acaba sendo um pouco monótono.

 

TMDQA!: Com um pop-rock recheado de traços indie e metais, as músicas do Não Contém Glúten mostram uma banda afiada e que parece se importar muito com a construção de cada uma das músicas. Como é o processo de criação de cada uma delas e como é feita a incorporação de tantos elementos diferentes que não ficam exagerados no resultado final?
NCG: Nossa, essa pergunta é bem complicada. Na verdade temos que admitir que ainda não temos muita maturidade no que diz respeito à composição. É um processo meio maluco, sempre temos vontade de incluir tantas coisas quanto podemos nas músicas, desde seu nascimento, e acabamos com uma verdadeira confusão, cheia de excessos. Aí entra em campo o famoso “vixe…temos que limpar essa coisa!” e começamos a remover todos os arranjos que não são “rigorosamente essenciais” (ou simplesmente ruins, como queira). Quando a música está limpa o suficiente a ponto de conseguirmos entender o que está sendo cantado, é por que já está pronta e podemos, finalmente, descansar!


TMDQA!: Como é feita a construção das letras das músicas da banda? Os refrães de “Celebrância, Que Tal?” e “Cabrito Sonhador” são destaques brilhantes em músicas que ainda trazem comparações de amor com sapatos usados e muitas outras estruturas bem pensadas.

NCG: Ah, pois é… As letras da banda são departamento exclusivo do Ted, normalmente é ele que sai com tudo. O que podemos dizer é que ele normalmente fala de coisas da vida dele mesmo, nada muito fora dos acontecimentos do dia-a-dia. Se está chateado com alguém da banda, se ficou chateado com um show, ou com uma menina, ou consigo mesmo, se foi injusto com alguém ou está morrendo de vergonha de alguma coisa, provavelmente vai acabar entregando algo em alguma letra.
Sobre os refrães, é engraçado escutar isso pois ambas as músicas foram desenvolvidas a partir do refrão. É normalmente por onde nossas músicas começam. A ideia de um refrão que aos poucos vai se expandindo e ramificando em versos, solos, pontes, introduções, etc.


TMDQA!: Quanto tempo levou para gravar o clipe de “Celebrância, Que tal?” e como tem sido a receptividade do público?

NCG: Foi um processo bastante longo e que contou com a ajuda de diversos amigos. Devido à nossa inexperiência (da banda, com vídeos) fizemos com que o projeto se estendesse um pouco além do esperado. Por sorte tínhamos uma equipe fantástica e o resultado nos deixou imensamente satisfeitos! A receptividade tem sido surpreendente e temos colhido uma ótima resposta do público em geral, incluindo acessos, compartilhamentos e até mesmo exibições do vídeo em canais de televisão como a MTV e a Record.

 

TMDQA!: Quais são os próximos passos da banda?
NCG: Gravação de um novo clipe para uma outra música do nosso álbum GNU; gravação de uma nova música para uma coletânea de bandas de Floripa; gravação de um novo álbum até metade do ano que vem.

 

TMDQA!: Vocês têm mais discos que amigos?
NCG: Bem mais! Será que um dia revertemos isso? Quem sabe se os discos saírem de moda e desaparecerem…Esperamos que isso venha antes do desaparecimento dos amigos!!! =D