25 de Dezembro de 1975: em pleno Natal, um certo jovem britânico chamado Steve Harris decidiu que deveria fundar uma nova banda, o Iron Maiden.

Aos 19 anos de idade, o baixista que havia deixado a banda Smiler se inspirou no romance O Homem da Máscara de Ferro, de Alexandre Dumas, e criou o grupo de Heavy Metal o batizando com o nome de um dispositivo de tortura, a Dama de Ferro.

A estreia veio no dia 01 de Maio de 1976 e logo o grupo passaria por algo que tornou-se constante em sua história: a mudança de integrantes.

Formações do Iron Maiden

Além de Steve Harris, a banda contava com Paul Day (vocais), Dave Sullivan (guitarra), Terry Rance (guitarra) e Ron Matthews (bateria).

Já em 1976 o grupo era basicamente Steve Harris com novos membros e os motivos para as saídas eram vários, desde a “falta de carisma” de Paul Day até, por exemplo, a saída do guitarrista Bob Sawyer, que ficou menos de um ano e foi expulso por “envergonhar a banda fingindo que tocava guitarra com os dentes”.

Desse período, só restam Steve Harris e o guitarrista Dave Murray, que entrou em 1976, saiu em 1977 e voltou em 1978 para nunca mais sair.

Início da Carreira

O início do Iron Maiden tem muitas influências de Hard Rock e Heavy Metal, além de pitadas de Punk, e seus dois primeiros discos Iron Maiden (1980) e Killers (1981) trazem Paul Di’Anno nos vocais e canções que ainda não traduziam todo o poder que os clássicos do grupo mostrariam no futuro.

Já em 1982 veio o terceiro disco, The Number of the Beast, e o primeiro álbum com o vocalista Bruce Dickinson trouxe sucessos como “Run To The Hills” e “The Number Of The Beast”, celebradas até hoje como duas das melhores músicas de toda a história do Metal.

Formação Clássica e Futuro da Banda

De lá pra cá, entre tantas idas e vindas e dezesseis discos de estúdio, a formação clássica do Iron Maiden se consolidou com Steve Harris, Bruce Dickinson, Dave Murray, Adrian Smith (guitarra) e Nicko McBrain (bateria).

A banda conquistou o mundo inteiro por conta de canções repletas de riffs e solos de guitarra, temas sombrios e a voz impecável de Dickinson, sempre um grande destaque nas canções.

Além disso, os shows do Iron Maiden se tornaram sinônimos de performances absurdas no palco e os britânicos tomaram os palcos de assalto em todos os cantos do planeta.

A boa notícia é que, como falamos por aqui, em 2020 a banda deve lançar um novo álbum e Bruce Dickinson gostaria de ver o Iron se apresentando com uma orquestra.

Nada mal para uma banda que já passou das quatro décadas, hein?

 
Compartilhar