Lucy Rose
Foto: Divulgação
 

Com turnê com passagem por quatro capitais em outubro (Porto Alegre no dia 02, Curitiba no dia 03, São Paulo no dia 05 e no Rio de Janeiro no dia 06), a cantora britânica Lucy Rose falou com o TMDQA! por telefone.

Natural de Warwickshire, Lucy se tornou uma das artistas mais aclamadas do Reino Unido após lançar o seu primeiro disco, Like I Used To, em 2012. Ela virá ao Brasil com a turnê do álbum No Words Left, talvez seu registro mais intimista.

Falamos sobre esse novo trabalho, a relação dela com o país (já que essa é sua terceira turnê aqui) e sobre os shows. Confira ao som do álbum:

TMDQA!: Oi, Lucy! Eu realmente gostei muito do seu novo álbum. É um daqueles que batem forte. E o disco dá aquela sensação pro ouvinte estar perto de você. Essa sensação de intimidade faz parte do seu trabalho?

Lucy Rose: Sim, acho que sim. E isso é meio assustador, sabe? Deixar uma parte de mim sempre exposta assim. Acho curioso que ao mesmo tempo que gosto, tem uma parte de mim que se preocupa um pouco, de ultrapassar os limites! (Risos) Mas esse receio passa quando alguém fala isso que você falou.

TMDQA!: Eu estava lendo sobre esse novo álbum e você disse em uma entrevista sobre a importância da sinceridade no seu trabalho. Você sente que isso é algo que falta na música atual?

Lucy Rose: Eu não sei dizer. Isso é algo bem imaterial, não teria como eu julgar outra pessoa, sabe? Saber o peso que aquele artista passou. Acho que a sinceridade é algo que me dá prazer e sinto que se o artista tá fazendo algo que está dando prazer para ele, já basta.

TMDQA!: Suas músicas atingem pessoas de diferentes parte do mundo. Por exemplo, você é uma mulher inglesa que tocou eu um homem sul-americano. Quando você está em turnê, o que mais te surpreende da recepção do público?

Lucy Rose: Tem duas coisas. Me emociona quem se diz agradecido por alguma música que acompanhou num momento complicado e confesso que me sinto muito orgulhosa de ver pessoas cantando! (Risos) Mas isso que você comentou é muito curioso mesmo. De vez em quando, eu me pergunto como aquilo vai atingir outras pessoas pois algumas das músicas falam de uma realidade bem específica, de vivenciar sexismo… Realmente fico fascinada.

TMDQA!: Essa é sua terceira vez no Brasil. Você tem alguma memória boa?

Lucy Rose: Nossa, eu tenho muitas. Mal posso esperar para reencontrar amigos que fiz aí. Vivi momentos incríveis aí e virei aquela pessoa que fica falando de viagens para amigos para falar do Brasil. Mas a minha memória mais forte é um restaurante que você come o quanto você pode e as pessoas trazem umas carnes nos espetos. Fiquei fascinada! (Risos)

TMDQA!: Uma churrascaria! (Risos) E o que os fãs podem esperar do show?

Lucy Rose: Vamos tentar uma formação diferente, buscando exatamente trazer esse clima intimista do Brasil.

TMDQA!: Só para fechar: você tem mais discos que amigos? Tem algum disco que sempre te acompanha nas viagens?

Lucy Rose: Sim, definitivamente pra primeira. Para a segunda, meu Deus, não sei (Risos). Acho que isso vai ficar me corroendo o dia todo. Quando for dormir vou pensar “devia ter falado tal disco”…

     
 
Compartilhar