Roky Erickson
Foto: Mike Carano

A música perdeu um de seus nomes mais marcantes e prolíficos: Roky Erickson, lendário guitarrista, vocalista e pioneiro do dark rock psicodélico, faleceu nessa sexta-feira (31 de Maio), aos 71 anos, na mesma cidade onde nasceu, em Austin (EUA).

A notícia de sua morte, cuja causa não foi revelada, foi dada por seu irmão, Sumner Erickson, que comentou: “O mundo perdeu uma luz imensa e uma alma incrível. Não foi uma vida fácil, mas ele agora está livre de tudo”.

Com sua banda, 13th Floor Elevators, uma das mais importantes dos anos 60, e uma carreira solo produtiva, Erickson se mostrou um visionário e influenciou incontáveis nomes que vão desde Cedric Bixler-Zavala (At the Drive-In, The Mars Volta) a Ghost.

Zavala foi, inclusive, um dos que lamentaram sua morte: “Obrigado, #RokyErickson! Você nos deu tanta música boa. Nós não merecíamos você. Descanse em paz.”

Mark Lanegan também escreveu seus sentimentos: “Devastado ao saber da morte de Roky Erickson. Uma das razões pelas quais comecei a cantar. Uma enorme inspiração e gigante na história do rock. Eu costumava ligar para ele todos os dias nos anos 80, ele na verdade me atendia a cada dois meses e falava sobre filmes de terror comigo. Que perda. DESCANSE EM PAZ.”

Billy F. Gibbons, guitarrista do ZZ Top e grande amigo de Erickson, publicou:

Roky Erickson seguiu em frente. Roky passou a significar muitas coisas para muitos admiradores e continuará a ressoar com um legado de estilo notável, talento, contos poéticos e artísticos. Como um amigo de longa data e seguidor das incríveis habilidades de performance de Roky, eu posso relatar o impacto de longo alcance que ele e seus companheiros de 13th Floor Elevators trouxeram à tona com seus sons psicodélicos misteriosamente magnéticos. É quase insondável contemplar um mundo sem Roky Erickson. Ele criou sua própria galáxia musical e logo no início foi uma verdadeira inspiração. Mesmo agora, Roky é uma fonte de energia criativa de primeira linha. É realmente uma circunstância em que ele continua a fornecer a ‘reverberação’ necessária. Algo que ele previu quando cantou ‘You’re Gonna Miss Me’… Nós certamente sabemos agora que ele está conectado com o universo.

Carreira prolífica, vida difícil

Roky Erickson
Foto: Divulgação / Facebook (Roky Erickson)

Durante toda a sua vida, Erickson lutou com problemas de saúde mental e, em 1968, foi diagnosticado com esquizofrenia paranoide, fazendo com que ele fosse submetido a terapias de eletrochoque e registrasse diversas passagens bastante traumáticas por hospitais psiquiátricos.

A partir de 1972, quando finalmente foi liberado do Rusk State Hospital após inúmeras fugas, Erickson passou a apostar em hard rock para sua carreira solo e registrou diversos trabalhos com as bandas de apoio The Aliens, Reversible Cords, The Nervebreakers e The Explosives. Com essa última, ele lançou o álbum ao vivo Halloween, cuja audição é obrigatória para quem gosta do gênero.

Infelizmente, por conta de sua esquizofrenia, a década seguinte não foi muito prolífica para Erickson. O músico só foi retornar às atividades, de fato, em 1995, com o álbum All That May Do My Rhyme.

Em 2001, a vida de Erickson, finalmente, começou a se acertar. Quando decidiu estabelecer uma confiança legal para seu irmão, Sumner, Erickson passou a receber medicamentos apropriados para cuidar da esquizofrenia e ter suas finanças e contratos organizados.

Seu empenho no tratamento que o ajudou a se tornar mais saudável e também a voltar a excursionar foi registrado no documentário You’re Gonna Miss Me, de Keven McAlester, lançado em 2005.

Seu último álbum de estúdio, True Love Cast Out All Evil, gravado em parceria com os indie rockers do Okkervil River, foi lançado em 2010 e é um presente para aqueles que acompanharam seus trabalhos, já que este foi o disco mais distinto e emocional que Roky fez em toda sua vida.

A imensa influência de Roky Erickson

Roky Erickson e Dave Grohl
Foto: Divulgação / Facebook (Roky Erickson)

Com o decorrer dos anos, vários artistas já regravaram e tocaram suas músicas. Queens of the Stone Age, REM, Primal Scream, Jesus and Mary Chain, Foo Fighters e Kasabian são apenas alguns nomes dessa extensa lista de influenciados pelo músico, que em 1990 ganhou um álbum em sua homenagem, Where the Pyramid Meets the Eye.

Brody Dalle (The Distillers, Spinnerette) é outro nome que sempre fez questão de dizer o quanto o álbum Gremlins Have Pictures, de 1986, é importante em sua vida e que a música “Anthem (I Promise)” é uma de suas favoritas de todos os tempos. Inclusive, com The Distillers, Dalle chegou a fazer cover da música “You’re Gonna Miss Me” em alguns shows da banda.

Abaixo, relembre ou conheça o clássico hino psicodélico “You’re Gonna Miss Me”, que agora ganha sentido preciso.