Game of Thrones - Daenerys, Jon Snow e os dragões
Foto: Reprodução/HBO
 

Depois de tanta espera, Game of Thrones finalmente retornou para a sua oitava e última temporada.

A expectativa era gigantesca, só se falava na série nas últimas semanas, teve Trono de Ferro espalhado pelo mundo, bolão para saber quais personagens vão morrer, teorias malucas… o planeta respirou GoT nos últimos dias.

A HBO até liberou o sinal da TV por assinatura e do HBO GO para todo mundo acompanhar o retorno da série e deu certo: as redes sociais já pipocaram antes mesmo do início da transmissão. Mas, como sempre, o começo da temporada pode não ter agradado todo mundo.

Logo de cara temos o retorno de Jon Snow (Kit Harington) a Winterfell, desta vez acompanhado de Daenerys (Emilia Clarke) e um exército de Imaculados, Dothraki e dois dragões. A partir daí, o que se viu foram muitos, mas muitos diálogos e pouca movimentação. O problema disso? Nenhum, na verdade.

Como abertura de um novo e decisivo ano, nada mais natural do que o episódio explicar todas as pontas soltas que sobraram da temporada anterior. Além disso, os 54 minutos de duração foram recheados de reencontros que precisavam ser explicados de forma mais calma.

Sansa (Sophie Turner) e Tyrion (Peter Dinklage) mostraram como mudaram desde o último encontro, que havia sido no longínquo casamento de Joffrey (Jake Gleeson); Arya (Maisie Williams) e Gendry (Joe Dempsie) resgataram um pouco da humanidade dos personagens em meio ao caos da guerra; Jon e Arya tiveram até um raríssimo momento bonitinho em Game of Thrones, entre outros.

A frieza com a qual saímos do episódio talvez se justifique, porém, pela previsibilidade de quase todos esses acontecimentos. Todos já sabiam que Sam (John Bradley-West) iria contar para Jon que ele é, na verdade, um Targaryen. Não há elemento surpresa, não há suspense. Apenas tinha que acontecer — e não teria como ser maior do que foi.

Agora, com todos os núcleos devidamente apresentados, exércitos reunidos, alianças confirmadas — ou não — e a ameaça definida, vai começar a bagunça. Batalha atrás de batalha, morte atrás de morte. Game of Thrones como todos estão esperando.

Assista ao teaser do segundo episódio da 8ª temporada de Game of Thrones:

Sobre a temporada

A oitava temporada de Game of Thrones tem os mesmos showrunners de sempre, David Benioff e D.B. Weiss, mas eles também vão dirigir o último episódio da série. A direção dos demais, inclusive, pode dar algumas dicas sobre o que esperar desta vez.

Miguel Sapochnik foi o responsável pelos episódios “Hardhome”, na 5ª temporada, e “Batalha dos Bastardos”, na 7ª, duas das maiores batalhas travadas em GoT. Ele assina também dois episódios desse 8º ano: o terceiro, que também é o mais longo de todos, e o 5º, que é o penúltimo e provavelmente o mais revelador.

Com tanta politicagem reservada para o episódio de estreia, nos resta apenas passar a semana especulando sobre como vão acontecer os combates entre os nortenhos e seus novos aliados contra os Caminhantes Brancos. E como diabos eles vão lidar com Cersei Lannister (Lena Headey) depois disso tudo.

LEIA TAMBÉM: Muse toca “Pray”, canção de Matt Bellamy para Game of Thrones, em show; assista

   
 
Compartilhar