Lançamentos nacionais: Zé Vito, Pat Lapin, Winter & Triptides
Foto: Adriano Fagundes / Divulgação
 

Flertando com o funk, o reggae e outros ritmos afrodescendentes em uma ambientação indie, Zé Vito lança seu disco Além Mar.

O trabalho, quarto na discografia do músico, foi gravado entre o Rio de Janeiro e Lisboa, cidade na qual mora desde 2017. Há participação de Wado, do rapper português Alexandre Francisco Diaphra e do fadista Marco Oliveira.

As letras do registro são despojadas e tratam sobre fatos corriqueiros. Dá para ter uma amostra dessa estética no clipe “Vem Chuva”, que pode ser visto aqui. O vídeo mostra Vitor, uma figura bastante conhecida na capital lusitana, principalmente no bairro Campo de Ourique (onde mora Zé), por pedalar pelas ruas tocando música nas caixas de som.

Pat Lapin

Lançamentos nacionais: Zé Vito, Pat Lapin, Winter & Triptides
Foto: Reprodução / Youtube

A cidade de São Paulo é a grande homenageada no clipe de “Solando SP”, novo single de Pat Lapin.

O clipe, dirigido por Luan Cardoso, mostra a cantora em seu apartamento nos Jardins enquanto a chuva cai pela janela. A cantora explicou que a ideia é retratar que mesmo em uma grande metrópole nossa vida é pessoal, íntima, dando muitas vezes a sensação de solidão.

“A chuva representa a transformação, e os tons de cores em amarelo, a esperança”, conta Patricia Coelho, que passa a assinar seu novo trabalho autoral com o apelido que ganhou durante sua incursão pela cena independente de São Paulo.

Winter & Triptides

Lançamentos nacionais: Zé Vito, Pat Lapin, Winter & Triptides
Foto: Gabriel Fernandez / Divulgação

Formada pela brasileira radicada na Califórnia Samira Winter e pelo americano Glenn Brigman, a dupla Winter & Triptides lança o clipe de “Desaparecidos”. O single faz parte de Estrela Mágica, álbum de estreia do duo.

A canção surgiu a partir de um sonho que Samira teve com com alienígenas que levavam seus amigos numa fazenda no Brasil e ela partia em busca deles. “Eu me diverti muito inventando uma melodia com um quê alegre de Erasmo Carlos que contrastava com uma letra assustadora”, relata a compositora.

O diretor Jeff Leeds Cohn explicou que o vídeo retrata abstratamente um encontro entre Samira e seu alter-ego. “Mostra como o dia se transforma em noite, as duas pessoas convergem em um confronto hiper-estilizado entre predador e presa”, completou.