Foto por Guilherme Guedes
 

Disco de estreia de um jovem recifense que venceu um reality show, mudou-se para a República Independente da Bossa Nova, fez um mestrado acadêmico decididamente irrelevante, teve seu instável talento para comédia contratado pela indústria do sitcom e usou todo o dinheiro que ganhou até aqui para gravar nove canções. Ou somente Disco de estreia. Esse é o nome (sério) do debut do cantor e compositor pernambucano Matheus Torreão.

Bem, o nome do álbum diz tudo mas vamos expandir aqui. O começo da carreira de Matheus foi ao lado da banda conterrânea A Caravana do Delírio, com quem ele gravou os EPs Glamourosa Comédia Pop (2009) e Delirium Tremens (2011). Mas o artista ganhou projeção nacional ao participar do programa Geléia do Rock, do Multishow. Em 2017, além de divulgar o compacto Compacto (sim), ele foi um dos colaboradores do Especial de Ano Todo, de Clarice Falcão, disponível na Netflix. Como se isso não fosse o suficiente, o cantor também marcou presença na Festa Literária de Paraty (Flip), em uma mesa promovida pela Rede Globo, sobre poesia e música. Além disso, ele participou de uma das melhores histórias já publicadas nesse site.

O álbum foi construído com produção de Guilherme Lirio e Pedro Dias Carneiro (o Vovô Bebê) e um time de músicos de alto nível – Marcelo Callado, Felipe Pacheco e Joana Queiroz, entre outros – para discutir amores modernos, relações de amizade e a sociedade brasileira. Sempre com um olhar de bom humor e leveza enquanto passeia por diversas referências do artista como o samba, o baião e a tropicália.

Ouça o disco: