A Caravana do Delírio causa polêmica no show do Restart
Ouça nova versão do disco ao vivo do Pink Floyd!  

Polêmica no show do Restart em Recife

Após uma sexta-feira de Dead Fish, onde Alyand, baixista da banda, concedeu uma entrevista para o TMDQA!, e Merda em Recife, a programação musical na cidade no sábado contou com a banda Restart.

Os portões abriram às 16h no Chevrolet Hall e, os fãs da banda, provevalmente, pensaram que logo em seguida o show do quarteto começaria. Porém, o show contou com as bandas de abertura Tribo Cordel e A Caravana do Delírio. Enquanto acontecia os shows dessas duas bandas, o público, formado em sua maioria por crianças, adolescentes e pais, vaiava os músicos e gritavam o nome da atração principal.

A polêmica, citada no título da postagem, veio no show da Caravana do Delírio. Com as vaias e gritos de “Restart! Restart”, que, traduzindo, significa reiniciar, a banda atendeu, ironicamente, os pedidos da platéia e ficava recomeçando uma das músicas de seu setlist. Porém, o pior veio em seguida. A banda tem uma música chamada “Mãonogamia”, que fala sobre masturbação. E antes de começá-la, o vocalista da banda, Matheus Torreão, perguntou, como faz em todos os shows da banda: “Alguém já se masturbou hoje?”. A pergunta gerou grande constrangimento no local e aumentou ainda mais as vaias e junto com elas vieram latas e garrafas, além de gestos obscenos, das mesmas crianças e adolescentes.

A casa de show e a Sunset Produções, que trouxe a banda, cortaram o som e retiraram a banda do palco. Em seguida um representante da produtora pediu desculpas pelo incidente e anunciou o Restart, que se atrasou por conta de problemas no ponto eletrônico de um dos membros do grupo.

A Caravana do Delírio causa polêmica no show do Restart
(Matheus é o segundo da esquerda para a direita)

Em nota oficial, Matheus, disse que a produtora não fez nenhuma restrição ao repertório da Caravana do Delírio e disse que o show deles são sempre assim. O vocalista disse que durante a apresentação deles, adolescentes e adultos faziam gestos obscenos para a banda. Segue parte da nota: “Muitos estavam dando dedada, vaiando e jogando garrafas. Isso sim é uma violência sem tamanho e era isso que os responsáveis dessas ‘crianças’ deviam estar discutindo. Esse escândalo por causa da masturbação é ridículo, uma grande hipocrisia. Qual o problema se tinha crianças? Uma criança de 5 ou 6 anos já pode se masturbar. É absolutamente natural, o próprio Ministério da Saúde distribuiu cartilhas elaboradas pelo MEC falando sobre isso nas escolas. Não deveria ser um tabu, isso só dissemina a ignorância. Quando eu era do maternal, eu e todos os meus colegas tínhamos CDs do Mamonas Assassinas com músicas que falavam ‘Nesse raio de suruba, já me passaram a mão na bunda e ainda não comi ninguém’ e ‘Comer tatu é bom, que pena que dá dor nas costas’, coisas que só fui entender muito depois e eram muito mais pesadas”

Em entrevista para o Jornal do Commercio, o músico estranhou o convite da produtora para abrir o show do Restart, mas viu nesse show uma oportunidade de tocar para um grande público, seis mil presentes, na ocasião. E ainda disse que não fizeram pela grana, visto que só receberam duas pizzas médias e refrigerantes. “A gente não queria ‘causar’. Fizemos o de sempre. Não somos uma banda de escracho e não tivemos nenhuma restrição da produção. Geralmente “Mãonogamia” é a mais pedida. Não vimos crianças no front stage, só adolescentes e adultos, como nos shows. E olhe que a apresentação foi comportada”, disse Matheus e finalizou com uma leve ironia, “Primeiro, é bom explicar que não queríamos ofender ninguém, nem somos oportunistas, apenas músicos que estão a fim de fazer uma carreira. Mas já que teve toda essa polêmica e não temos show marcados, quem sabe se essa história de masturbação não dê uma mãozinha na nossa carreira?”

Abaixo você confere a referida música.