Em Setembro de 2015 foi formada a banda de pop rock Os Caras & Carol, que juntou músicos de partes diferentes do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul.

Se no início a ideia era montar um espetáculo teatral, o projeto evoluiu para uma banda propriamente dita e os caras (e Carol) começaram tanto a imprimir a sua personalidade a covers de músicas consagradas quanto compor canções próprias, conseguindo números expressivos no YouTube.

Aproveitando a passagem do cantor Harry Styles pelo Brasil nos próximos dias, o grupo resolveu fazer uma cover da explosiva “Kiwi”, e mais uma vez deixou a versão com as suas características próprias, em um resultado final que pode ser visto com exclusividade no vídeo logo abaixo.

Entrevista

Para aproveitar a ocasião, nós conversamos com Os Caras e Carol a respeito do vídeo e do trabalho da banda, e você pode ler a conversa logo abaixo.

TMDQA!: Quando vocês surgiram e como descreveriam a sonoridade da banda para alguém que nunca a ouviu antes?

Os Caras & Carol: Nós começamos em 2015 e o projeto original era um musical em formato de show. No nosso primeiro ensaio, a gente já tinha muito material e percebeu que não dava pra restringir aquelas músicas ao formato de peça e decidimos seguir em frente como banda. De lá pra cá foi um processo bem longo de ensaios, autoconhecimento, até pra definir essa questão do gênero.
Nossas influências são de vários artistas e gêneros musicais, todas elas estão presentes na
nossa música: rock alternativo, indie rock, MPB, blues, fado, entre outros… A gente não tem essa necessidade de se definir, mas como nos definem, costuma ser Pop-Rock que é o que engloba melhor o nosso estilo, mas a gente atira pra todos os lados.

TMDQA!: O nome do grupo já parece refletir um pouco do humor de vocês, fazendo graça com o fato dos músicos acompanharem a cantora. Como é o relacionamento de todos e qual é o tipo de mensagem que vocês querem passar com suas músicas? A impressão é que a ideia é trazer leveza para dias tão difíceis.

Os Caras & Carol: Temos humor pra tudo, inclusive temos um caldeirão de referências humorísticas… a ideia do
nome vem justamente de se perceber quatro homens e uma mulher e Carol é nossa frontwoman.

E sempre tem uma relação de peso nos nomes né? Lobão e os Ronaldos, Pedro Luís e a Parede, aí pra que tivesse um humor com isso, nós somos “os caras” (como se brinca na gíria popular ele é “o cara”) e ela definitivamente é a Carol. A gente faz tudo em coletivo, por exemplo, essas perguntas, todos nós respondemos e juntamos tudo num caldeirão.

Tentamos sempre entregar o que achamos a quem vai falar em nome da banda. Nossas composições vêm de um lugar de confissão. É peito aberto mesmo, conversar sobre amor, sobre aceitação, sobre solidão, sobre esperança. Esperamos que isso transmita uma sensação de que estamos falando diretamente com quem nos ouve. É pessoal e as coisas pessoais nem sempre são fáceis, mas elas podem ser poéticas. É nessa poesia que o nosso relacionamento entra: se colocar no lugar um do outro; a maioria das composições tem eu lírico masculino e a Carol se coloca nesse lugar, ou transporta esse lugar pro feminino.

TMDQA!: Além de músicas próprias vocês também fazem covers de artistas consagrados, como fazem para escolher essas versões?

Os Caras & Carol: Cover sempre é um assunto delicado. Desde o primeiro ensaio tocamos nossas músicas e fomos pensar nisso quando tivemos a proposta pro primeiro show. Tínhamos 9 músicas nossas e precisávamos de 1 hora de show. Aí começamos a pensar, e aí mora o problema: as playlists de cada integrante são bem singulares. Mas quando encontramos aquela música que conecta todos nós, é sempre uma festa. Precisamos ser verdadeiros sobre os nossos gostos, não importa o quão eclético a gente seja.

TMDQA!: Como surgiu a ideia de fazer a cover de “Kiwi” especificamente? Ao mesmo tempo que a repercussão pode ser imensa por conta da base de fãs de Harry Styles, também pode ser uma tarefa ingrata tocar a música de alguém tão popular.

Os Caras & Carol: A Carol sugeriu, ouvimos, no ensaio seguinte com duas passadas da música ela já estava lá.
Cover é sempre uma forma de admiração, reverência, homenagem e obviamente se tínhamos esse cover pronto e “o cara” vem pro Brasil… vamos lançar! Ele tem que ouvir, achamos que ele vai gostar!
Esperamos que as pessoas tenham a mesma sensação que a gente tem quando toca quando elas ouvirem, de que a gente está se divertindo muito e é isso que importa! Inclusive, se por alguma chance isso chegar no Harry Styles, a gente espera que ele curta também!

TMDQA!: Vocês têm mais discos que amigos?

Os Caras & Carol: Temos, com certeza mais discos que amigos! Música sempre fez parte das nossas vidas e é
sempre bom renovar a audição com música nova. Hoje e sempre a gente tem mais discos que amigos, inclusive como amigos, a gente tem aqueles melhores discos de cabeceira. Podemos citar aqui o The Dark Side of the Moon, Sgt. Pepper’s,
Clube da Esquina 1 e o How Big, How Blue, How Beautiful, da Florence + The Machine.

Compartilhar