David Bowie
Foto: Divulgação
 

No dia 10 de Janeiro de 2016, o mestre David Bowie nos deixou.

Dois dias antes, em 08 de Janeiro, ele completou 69 anos de idade e no mesmo dia lançou seu último disco de estúdio, o espetacular Blackstar.

No álbum, Bowie fala sobre a própria morte e desabafa com o ouvinte através de grandes canções e clipes incríveis que mostraram que o músico já vinha planejando a sua despedida de forma artística há algum tempo.

Agora, de acordo com um dos seus colegas na música durante toda a vida, veio a informação de que o astro já sabia a respeito da data de sua morte há muito tempo.

Mike Garson é um tecladista que acompanhou David Bowie de perto: ele é o músico que mais tocou com o cara em toda carreira, se apresentando em mais de mil shows, e estando tanto no primeiro quanto no último show do cara nos Estados Unidos.

Sendo assim, após décadas ao lado do britânico, ele com certeza o conhecia muito bem, tanto que em 2015 lançou uma biografia chamada Bowie’s Piano Man: The Life of Mike Garson, a respeito da sua vida nos estúdios e na estrada com Bowie.

Esse livro será atualizado com histórias nunca contadas antes, e uma delas diz justamente que desde o final dos anos 70, David Bowie já sabia que iria morrer em Janeiro de 2016 após consultar uma vidente:

A vidente lhe disse que ele iria morrer exatamente quando morreu. Há varias videntes que não sabem o que estão fazendo, mas essa era real. David sabia disso e não duvidou em nenhum momento. Ele me contou a respeito disso com muita certeza, aceitou o fato e planejou seu futuro baseado nisso. Ele teve 30, 40 anos para planejar a sua vida.

A nova versão do livro a respeito do tecladista terá 100 novas páginas compiladas pelo autor Clifford Slapper e Mike Garson, que tocou em nove discos de estúdio de Bowie entre 1973 e 2003, se lembrou da última conversa que teve com Bowie, justamente para o livro:

Foi muito profundo. Então eu escrevi para o David instantaneamente e disse, ‘Não posso acreditar nisso.’ E ele me ligou de volta em 10 segundos e disse, ‘Mike, nós fizemos um trabalho maravilhoso juntos.’ E da forma como ele disse, eu desliguei o telefone e disse para a minha esposa, ‘Eu nunca mais irei vê-lo e nunca mais irei trabalhar com ele.’ Foi o sentimento mais estranho. Eu não sabia que ele estava doente com câncer. Foi tipo, ‘Obrigado pelo trabalho, e adeus…’

Nos próximos dias o tecladista irá embarcar em uma turnê chamada Celebrating David Bowie, onde contará com músicos que tocaram ao lado da estrela e nomes como Bernard Fowler (The Rolling Stones) e o filho de Sting, Joe Sumner.

FonteBillboard
Compartilhar