Ghost: com possível nova formação, banda irá gravar disco “sombrio”

Em entrevista, o vocalista da banda ainda comparou o grupo ao Queens of the Stone Age

Ghost
 

Em 2015, o grupo Ghost lançou o álbum Meliora e nós gostamos bastante, inclusive colocando o disco na nossa lista de melhores álbuns do ano.

O álbum marcou uma mudança sonora ainda maior para a banda que, apesar de ter mantido alguns elementos “obscuros” em suas melodias, gravitou muito mais para um rock comercial. Não parando por aí, o grupo lançou ano passado o EP Popestar, que conquistou para o Ghost sua primeira música número 1 nas paradas de rock nos Estados Unidos com a faixa “Square Hammer”.

Agora, em meio às gravações de seu novo registro em estúdio, o frontman Papa Emeritus deu alguns detalhes sobre o próximo trabalho da banda.

As ideias para o novo álbum serão mais sombrias, porque ele se passa tematicamente em um diferente… em um cenário mais sombrio. Meliora serviu para refletir uma determinada utopia/distopia na sociedade moderna, enquanto que esse novo vai ser um pouco mais apocalíptico, um pouco mais de volta aos tempos medievais que, obviamente, estão associados com escuridão.

Obviamente, no metal, no metal extremo, você tem uma miríade de álbuns temáticos da idade média, mas a ideia para esse novo álbum é combinar… Então onde álbuns se afogavam e se cercavam de morte, esse será um disco sobre sobrevivência. Então esse trabalho constante com esses elementos polares é também uma diferença. Se você procurar um álbum de black metal que é sobre pragas e morte, você só terá morte — tudo é preto e tudo termina preto. Enquanto que uma das forças por trás da minha escrita é compor um álbum sobre a sobrevivência disso e a prosperidade. É, irá ser um álbum mais sombrio. Se ele vai ser mais pesado do começo ao fim? Eu não sei, obviamente. Mas nós temos as melodias e nós temos músicas que não são tão pesadas.

Do meu ponto de vista, sabendo do material que está por vir, serão os dois. Terá tudo desde o metal pesado e esmagador até grandes hinos mais lentos.

Além disso, o músico comentou sobre a possibilidade da formação da banda ter mudado completamente desde o lançamento de seu último material. Como todos os músicos tocam com capas e máscaras, não conhecemos a identidade deles, e o mistério paira no ar:

Eu acho que um dos segredos por trás da nossa habilidade mantida é o fato de que nós não necessariamente precisamos ter as mesmas seis pessoas na sala para fazer esse som, o que ajuda.

Ao entrar em detalhes sobre isso, Papa Emeritus comparou sua função no Ghost ao Queens of the Stone Age.

Queens of the Stone Age é a mesma coisa. Tudo passa pela mão de Josh Homme, e portanto soa como o Queens of the Stone Age, independentemente de quem ele traz para dentro da banda, o que é uma situação similar.

Você pode ler mais sobre a entrevista clicando aqui.

Comentários