Entrevista por: Nathália Pandeló

O disco de estreia do Young The Giant fez barulho o suficiente para render uma turnê, clipes bem legais e pelo menos três singles que se deram bem, obrigada. Mas ainda não foi o bastante para causar uma impressão duradoura, daquelas que provocam as bandas que têm algo único a dizer.

Talvez Young The Giant consiga isso agora, com seu segundo disco. Lançado em 2014, Mind Over Matter mostrou uma banda um pouco mais madura e sem medo de arriscar ir um pouco além. O resultado já está aí, em uma nova turnê ao lado de bandas como o Smashing Pumpkins e Kings of Leon e como atrações do Lollapalooza Brasil, que acontece em São Paulo nos dias 28 e 29 de março.

Conversamos com o guitarrista da banda, Eric Cannata, para saber como foi o processo criativo para o segundo trabalho, a passagem pelo Brasil e planos para o futuro. Confira abaixo:

TMDQA: Oi, Eric! Eu estava ouvindo o “Mind over matter” agora há pouco, na verdade, e parabéns pelo disco. Soa super bem, apesar de que parece que cria um distanciamento em relação ao que vocês já vinham fazendo, no álbum de estreia. É um pouco mais ousado, um passo à frente para a banda. O que mudou entre 2011 e o ano passado?

Young the Giant: Acho que o motivo de os dois discos serem únicos entre si é porque queríamos explorar sonoridades diferentes. Foi um resultado de nos sentirmos caindo na zona de conforto e fazendo o mesmo de sempre. Nos colocamos o objetivo de não refazer o mesmo álbum. Queríamos sair da forma como criávamos e produzir sons diferentes, e nosso produtor [Justin Meldal-Johnsen] nos deixou explorar bastante isso.

TMDQA: Agora que estão em turnê com as novas músicas, vocês conseguiram deixá-las mais pé no chão e orgânicas na série “In the open”, em que se apresentam ao ar livre fazendo versões acústicas. Como são escolhidas as locações e as músicas que as acompanham em cada lugar que gravam? Vocês planejam fazer algum vídeo aqui no Brasil?

Young the Giant: Na verdade, ainda não falamos sobre fazer um vídeo no Brasil, mas agora que você falou, vou sugerir pro pessoal. A escolha das locações depende muito. Começamos com esse projeto quando estávamos em Utah, gravando o clipe para “I got”, que era uma das canções do nosso outro álbum. Estávamos dirigindo na van, com todo o equipamento, e passamos por um lugar em que falamos, “e se tocássemos aqui?”. Mas acaba dependendo da nossa agenda e também da equipe de produção. Tentamos escolher as músicas pensando em como elas se relacionam com a atmosfera do ambiente que escolhemos. Provavelmente, vamos gravar vídeos para todas as músicas do novo disco.

TMDQA: Falando no Brasil, a Young The Giant vai tocar no Lollapalooza em São Paulo e em algumas outras cidades, acompanhando o Smashing Pumpkins. Essa deve ser uma oportunidade não só de chegar a um público maior, mas também de ver suas bandas favoritas bem de perto. Quem você está mais empolgado para ver aqui no Lolla?

Young the Giant: Sei que vamos fazer algumas cidades com o Smashing Pumpkins, o que vai ser ótimo. Mas para te falar a verdade, nem consegui ver o line up ainda (risos).

TMDQA: Vocês vão tocar no mesmo dia do Pharrell Williams, Foster the People, Interpol, The Kooks…

Young the Giant: Ah, Interpol é demais. E o Pharrell… O Pharrell é o Pharrell, né? Tem todo o lance do chapéu (risos), e musicalmente é fantástico também.

TMDQA: Com o “Mind over matter” já lançado, turnê, tocar com Kings of Leon e os vídeos que tem feito, parece que vocês tem bastante coisa rolando agora. Com um segundo disco tão sólido, já estão fazendo planos ou mesmo compondo o próximo?

Young the Giant: Bom, não sei se já posso estar falando isso… Mas estamos bem adiantados em um terceiro disco. Sei que sou suspeito pra falar, mas acho que vai ser o nosso melhor até o momento. É isso. Não posso contar muito, mas acho que vocês vão poder ouvir até antes do que imaginam.