pussy_riot
 

pussy_riot

Nadezhda Tolokonnikova e Maria Alyokhina, integrantes do grupo punk Pussy Riot que foram soltas da prisão no final de 2013, irão processar o governo da Rússia.

Cada uma irá pedir 120 mil Euros em indenização, o equivalente a 360 mil Reais, além de 10 mil Euros como custos ligados ao julgamento, o que dá cerca de 30 mil Reais.

Quem representa a dupla é o grupo de direitos humanos Agora, cujo presidente Pavel Chikov falou a respeito:

Elas não tiveram um julgamento justo aqui na Rússia então querem um julgamento justo na corte Europeia de direitos humanos. Além disso elas querem que esse caso se torne um precedente para que os Russos tenham a liberdade de falar publicamente sobre questões políticas sensíveis, mesmo que o discurso não seja apoiado pela maioria. Esse é um caso sobre liberdade de expressão e julgamento justo antes de tudo.

Recentemente a banda lançou uma conta oficial no Twitter com publicações em Inglês.

Entenda o caso

A banda punk Pussy Riot critica o governo da Rússia liderado por Vladimir Putin, e em 2012 foi até uma Igreja da capital do país, Moscou, onde cantou uma “reza punk.”

As duas integrantes citadas acima ficaram na prisão por 21 meses em um caso que chamou a atenção da mídia internacional e teve o apoio de nomes da música como Madonna, Paul McCartney, Refused, Lady Gaga, Bjork e muitos outros.

     
 
Compartilhar