Jake Bugg

Ao telefone, Jake Bugg não parece o menino raivoso que bebe para lembrar e fuma para esquecer e que berra palavras com seu forte sotaque inglês e sua voz rasgada. E muito menos a figura de bad boy que parece querer cultivar por esporte. É só um garoto, meio arisco e fechado, como adolescentes são. Com dois discos lançados (Jake Bugg de 2012 e Shangri La, 2013 – um dos melhores do ano), passagem confirmada pelo Brasil em abril e sem muitas palavras, o cantor não-folk falou com o TMDQA! sobre poucas coisas.

TMDQA: Quando seu primeiro álbum saiu, você impressionou bastante pelas suas influências e pela pouca idade. Mas no seu novo disco, parece que você está criando mais algo seu, um som seu. Você acha que as experiências que o primeiro disco ofereceu, com a turnê, resenhas e tudo que vem com isso mudou algo na sua música?

Jake Bugg: Sim, o primeiro álbum era muito voltado para as minhas próprias experiências e agora eu vivenciei novas coisas que trouxeram novos assuntos. Foi toda uma mudança de perspectiva. Agora eu viajo pelo mundo e vivo umas experiências muito loucas que nunca poderia imaginar viver. Só tentei manter tudo o mais fiel possível no disco.
TMDQA: “Shangri La” foi produzido pelo Rick Rubin. Como foi trabalhar com ele?
Jake Bugg: Foi incrível. Além dele, contamos com músicos fantásticos. Senti como se tudo estivesse sendo conduzido do melhor jeito possível para um resultado. (Longa pausa) Foi bem bacana.

TMDQA: Tudo na sua carreira parece estar acontecendo muito rápido. Você tem planos para o futuro? Algum objetivo pessoal para atingir?
Jake Bugg: Acho que já atingi muito mais do que esperaria atingir. Acho que pros próximos anos vou tentar manter as coisas rolando, gravando discos, viajando para tocar e vendo onde isso vai dar.

TMDQA: O folk está de volta ao mainstream e você é um dos responsáveis por isso. Você acha que artistas como você, Mumford and Sons e Laura Marling estão trazendo uma nova luz para o folk?
Jake Bugg: Sabe, acho que as pessoas só não ouviram direito. Eu não sou um cantor folk, passo por vários gêneros, procurando minha coisa própria. Ainda tenho muito a testar antes de descobrir.

TMDQA: Ao mesmo tempo que você é conhecido por sua música, você ganhou manchetes criticando alguns artistas que tem mais ou menos a mesma idade que sua. Você acha que a sua geração está bem representada na música?
Jake Bugg: Oh, oh. Não, não mesmo. Absolutamente não. Tem músicas tenebrosas por aí. (longa pausa) É algo meio doido… Eles (as pessoas da mesma geração) estão dando audiência para umas coisas péssimas… Que façam isso então…

TMDQA: E o que você espera dos shows no Brasil?
Jake Bugg: Ouvi que o público é ótimo, apoia o artista. Eu sempre quis ir aí… E tudo isso me levando… Estou ansioso.

 
 
Compartilhar