Columbia

Fotos por: Natalia Valle

Na terça-feira, dia 25 de maio, a Columbia finalmente fez o show de lançamento do seu mais novo e segundo álbum, “Um Quarto Escuro” e contou com ótimo público que compareceu no Oi Futuro em Ipanema.

A banda apresentou todas as canções do registro (que marca uma fase mais conceitual da Columbia) e não desapontou os fãs mais antigos que – por mais que a banda tenha amadurecido – não conseguem desgostar dos clássicos dos seus EPs e do seu CD anterior.

Logo ao chegar ao teatro, nos deparamos com um belo cenário, com abajures e lumirárias, deixando todos já no clima do “Um Quarto Escuro” e mais ansiosos ainda para o começo da apresentação.
E então, às nove e quinze da noite, a banda subiu ao palco com todos vestidos de preto, dando início àquela noite mágica com uma sequência de três músicas do novo álbum: “A Nova Música”, “O Tempo Todo” e “Mais Cedo”.

Por mais que quiséssemos prestar atenção somente no show, era difícil ignorar o fato de que ali havia dois músicos de apoio (bateria e guitarra) e um deles substituía Fred Mendes, o querido baterista da banda.
Na pausa após “Mais Cedo”, a vocalista Fernanda Marques, explicou o motivo de sua ausência:

A primeira coisa que a gente nota é que tem duas pessoinhas aqui com a gente e uma das pessoinhas nao é o Fred. O Fred teve uns problemas pessoais, está em Juiz de Fora e quem assumiu as baquetas foi o nosso queridíssimo Gustavo Krebs, que mixou o disco. A  gente pensou ‘já que é para entregarmos as baquetas para alguém, que seja pra ele, já que ele sabe todo o disco, até os backing vocals“.

Além de Gustavo Krebs, o cantor, compositor e guitarrista Geraldo Côrtes, estava dando suporte à banda.

Dando continuação, após Fernanda ter avisado “Vamos relembrar um pouco o primeiro disco. Vamos cantar umas musicas antigas juntos“, a Columbia tocou “Onde  Vai”, “Desculpas” e antes da famosa “Amanhã” (cujo clipe passa com frequência até hoje na MTV Brasil), Fernanda ainda brincou perguntando: “E aí? Quem conhece essa?

Antes de “Planos”, mais uma pausa e mais interação da Fernanda com o público: “E aí minha gente, tá tudo bem, tá tudo confortável?” E então, mais um dos clássicos dos primórdios da Columbia era apresentado: “Marcela e Fernanda”, do seu EP de estreia,  “A Soma Das Horas”, lançado em 2004. Em seguida, outras duas do novo registro, “Nina, Nina” e a viciante “Oito Meses”.

Fernanda estava nitidamente incomodada com o fato de todos estarem sentados nas poltronas, ao invés de estarem de pé  e disse:
Dá uma aflição todo mundo sentado… Acho uma tristeza isso. Ficar em pé é pior para as varizes… Mas gente, então, esse é o momento para quem quiser dançar, curtir e sonhar… Então, levanta aí, dança aí…
Esse era o “momento do bailinho” e muitos aproveitaram a deixa para curtir a reta final do show fora das poltronas.
As músicas que fizeram parte do “bailinho”, foram “Nova Horas”, “Nada Demais” e “Antes Que Eu Fuja”.

Para que os pés tivessem um descanso, a penúltima parte do show contou com músicas mais calmas do novo registro.
Em “Pra Cá”, a Columbia convidou o cantor, músico e produtor Márcio Biaso (integrante da banda Reverse, em hiato indeterminado desde 2008), para fazer um belíssimo dueto com a Fernanda. Sem dúvida, um dos melhores e mais marcantes momentos do show.

A banda então deu sequência ao final do bloco com “Futuro” e “Imperfeito” e por mais que a Fernanda tenha avisado que essa seria a última, com abuso total do uso do trocadilho, sabíamos que o show seria imperfeito se a emocionante “Tóquio” não estivesse no setlist.
Portanto, ao som de “mais um!”, a banda voltou para completar aquela noite arrepiante e memorável, com “Tóquio”.

Após o show, percebi muitos emocionados e com os olhos molhados, não parecendo acreditar que tinham presenciado aquele tipo de espetáculo feito por músicos talentosíssimos e por profissionais/técnicos de áudio e iluminação.

O Tenho Mais Discos Que Amigos! dá a dica: Se essa turnê passar pelo seu Estado; sua cidade, não deixe de conferir. O show é – ao mesmo tempo que divertido – emocionante demais, intenso e faz com que todos aqueles que já foram presenciá-lo algum dia, queiram sempre ter a oportunidade de retornar ao Quarto Escuro da Columbia.

Circa Survive

Conforme foi postado aqui, o Circa Survive (banda formada por Anthony Green, ex vocalista do Saosin) lançou um novo álbum em abril.

As novidades de agora são que “Blue Sky Noise” foi postado na íntegra para audição no myspace oficial da banda e que o segundo videoclipe do registro já foi lançado.

A música escolhida foi “Imaginary Enemy” e o resultado do video você confere logo abaixo.

Bad Religion

Jay Bentley, baixista do Bad Religion, concedeu atualizações sobre o andamento do novo álbum de estúdio da banda.

Nós provavelmente estamos na metade do caminho. Estamos compartilhando títulos para escolhermos qual será o do novo álbum e ideias visuais. Essa é meio que a forma como fazemos as coisas ao longo de trinta anos. Provavelmente no último minuto, iremos surgir com o título do álbum e algumas fotos, a tracklisting e daí o álbum sairá.

Jay Bentley também falou sobre a sonoridade do novo registro:

Ouvi o Greg e o Brett dizendo que se os nossos últimos três álbuns nos anos 2000 fossem ‘Suffer’, ‘No Control’ e ‘Against The Grain’, então este seria ‘Recipe For Hate’. Eu disse: ‘Vocês estão esquecendo do ‘Generator’. E Brett respondeu: ‘Sim, mas isso foi intencional’. Daí, ouvindo o novo material, ele lembra uma mistura do ‘Generator’ com ‘Recipe for Hate’. Haverá muita coisa que surpreenderá as pessoas nesse álbum.

Esse será o décimo quinto álbum de estúdio da banda e o sucessor de “New Maps of Hell”, lançado em 2007.

Vale lembrar que o Bad Religion está comemorando trinta anos de existência em 2010 e que resolveu lançar um registro ao vivo para download gratuito no dia 18 de maio. Para fazer o download do registro “30 Years Live”, clique aqui.

Someone Still Loves You Boris Yeltsin

A banda de indie pop Someone Still Loves You Boris Yeltsin, lançará novo disco neste ano, que será o sucessor do seu segundo álbum: O ótimo “Pershing”, de 2008.

“Let it Sway” será lançado em versão digital, CD e LP de altíssima qualidade (180 gramas) na cor pêssego ou preta, no dia 17 de agosto deste ano, via Polyvinyl Record Co.
A produção fica por conta do amigo e fã da banda, Chris Walla (guitarrista do Death Cab for Cutie).

Tracklisting:

01. “Back in the Saddle” (4:28)     
02. “Sink/Let it Sway” (3:05)
03. “Banned (By the Man)” (3:45)     
04. “In Pairs”     (3:04)      
05. “My Terrible Personality” (2:53)      
06. “Everlyn” (3:01)      
07. “Stuart Gets Lost Dans Le Metro” (4:23)      
08. “All Hail Dracula!” (3:05)      
09. “Critical Drain” (2:44)     
10. “Animalkind” (2:29)     
11. “Phantomwise” (2:29)     
12. “Made to Last” (4:31)

O álbum já está em pré-venda e tem várias opções de compra:

Para reservar sua cópia do álbum em qualquer uma das versões, clique aqui.

Para reservar sua cópia do álbum em CD + camisa (amarela, branca ou preta), clique aqui.

Para reservar sua cópia do álbum em LP na cor preta + camisa (amarela, branca ou preta), clique aqui.

Para reservar sua cópia do álbum em LP na cor pêssego + camisa (amarela, branca ou preta), clique aqui.

Para reservar sua cópia do álbum em CD + camisa (amarela, branca ou preta) + sacola, clique aqui.

Para reservar sua cópia do álbum em LP na cor preta + camisa (amarela, branca ou preta) + sacola, clique aqui.

Para reservar sua cópia do álbum em LP na cor pêssego + camisa (amarela, branca ou preta) + sacola, clique aqui.

Na compra do registro, você ganha:

– Download gratuito com três faixas bônus (“Cardinal Rules”, “Bended” e “Tanks Jam”);
– Um button com o nome da banda;
– Um adesivo 4″x 2″;
– Um poster do novo álbum.

O primeiro single de trabalho, “Sink / Let It Sway”, já está disponível para download gratuito neste link e a julgar o álbum só por essa prévia, ela está mais para o “Pershing” do que para o “Broom”, lançado em 2005.